Paginas

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Batatinhas Na Bolsa


O professor pediu para que os alunos levassem batatinhas e uma bolsa plástica para a aula. Em seguida pediu: Separar uma batatinha para cada pessoa de quem sentiam mágoa, escrever seu nome (ou algum sinal) nas batatinhas e colocá-las  dentro da bolsa. 
A tarefa consistia em, durante uma semana, levar para toda parte a bolsa com as batatinhas. Naturalmente a condição das batatinhas foi se deteriorando.
 O incômodo de carregar a bolsa, a cada momento, mostrava-lhes o tamanho do peso diário que a mágoa ocasiona. O fato de  por atenção na bolsa, para não esquece-la em algum lugar, desviava os alunos de muitas  inconveniências e dissipações...

Lição: Este é o preço que se paga, todos os dias, para manter a mágoa, a bronca, a raiva e a revolta. Principalmente quando damos importância aos problemas não resolvidos ou às promessas não cumpridas, nossos pensamentos enchem- se de mágoa, aumentando o stress e roubando nossa alegria. 

Fonte: www.comdeus.com.br
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

O Dialogo Das Três Velas


No altar de uma igreja silenciosa, três velas conversavam. O ambiente estava tão quieto que podia-se ouvir o seu diálogo. A primeira disse:
- “Eu sou a Fé! Infelizmente estou sobrando. As pessoas não querem mais saber de Deus. Não faz sentido continuar queimando.
 Ao terminar sua fala, um vento bateu levemente sobre ela, e esta se apagou. Desiludida e triste a segunda vela se manifestou:
- “Eu sou a Caridade! As pessoas me deixaram de lado, olham só para si mesmas e se esquecem até daqueles que as amam. Estou desfalecendo à míngua... 
E sem esperar, apagou-se. A terceira vela continuava bruxuleando, agonizando. Nisso entra uma criança. Vê o cenário tristonho: velas apagadas, melancolia, silêncio. Vendo uma vela ainda acesa, foi conversar com ela:
- O que está acontecendo aqui? Quem apagou essas velas? E essa tristeza toda? Estou com medo.
- Não tenhas medo, criança. Eu sou a Esperança! Onde há uma criança, há sempre uma esperança. Se você me ajudar podemos acender as outras velas.
A criança pegou a vela da Esperança e com ela acendeu as outras. Assim a Fé,  a Esperança e a Caridade voltaram a reinar.

Lição: Isto é sonho ou realidade? Que ao menos a  vela da Esperança nunca se apague dentro de nós! Vem, Senhor, e não tardeis mais!

Autor desconheço
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O Carvalho Para Choque Nas Tempestades


Essa árvore é usada pelos botânicos e geólogos como um medidor de catástrofes naturais do ambiente. Quando querem saber qual o índice de ventos e tempestades ocorridas numa determinada floresta, eles observam logo o carvalho (caso exista no local), que naturalmente é a árvore que mais absorve as conseqüências dos temporais. Quanto mais temporais e tempestades o carvalho enfrenta, mais forte ele fica! Suas raízes se aprofundam mais na terra a cada embate o seu caule se torna mais robusto, sendo impossível uma tempestade arrancá-lo do solo ou derrubá-lo!
Mas os cientistas não precisam fazer essas análises todas para saber isso! Basta apenas olhar para o carvalho. Por absorver as conseqüências das tempestades, a robusta árvore assume uma aparência disforme, como se realmente tivesse feito muita força.
Para um carvalho cada tempestade é mais um desafio a ser vencido e não uma ameaça! Numa grande tempestade, muitas árvores são arrancadas, mas o carvalho permanece firme!

Lição: Devemos tirar proveito dos sofrimentos e contrariedades da vida, para ficar mais fortes! Um pouco marcados e com a aparência abatida, mas fortes!!!  

- Fonte: comdeus.com
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

O Cravo Da Ferradura


O camponês fez as compras na cidade, ajeitou tudo no seu cavalo e tomou o caminho da roça. Já estava entardecendo. Foi quando alguém o preveniu:
- Senhor, está faltando um cravo na ferradura da pata do seu animal. Não seria melhor providenciar outro?
- Deixa faltar... 
- respondeu o feirante 
- Estou com muita pressa.
Durante a caminhada outros o avisaram. Mas ele não deu atenção. Estava com muita pressa.
Continuou a cavalgar, mas já não conseguira andar muito, quando notou que o cavalo estava manquejando. Tentou continuar na esperança de chegar logo. Entretanto, depois de poucos metros o animal passou a tropeçar e, com pouco mais de tempo recusou-se a prosseguir, mesmo à custa de chicotadas.
Era noite e o camponês viu-se obrigado a deixar o pobre animal sob a guarda de algum conhecido, desamarrou o fardo com as compras e foi caminhando com todo aquele peso. A distância que parecia curta tornou-se longa e penosa. Só muito tarde chegou cansado, faminto e preocupado com a possível perda do animal.

Lição: Tudo por causa de um simples cravo que não foi substituído no momento necessário. Pequenas omissões podem resultar numa perda irreparável...

Autor desconheço
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Receitas De Dona Cacilda


Dona Cacilda é uma senhora de 92 anos, miúda, e tão elegante, que todo dia às 08 da manhã ela já está toda vestida, bem penteada e discretamente maquiada, apesar de sua pouca visão. E hoje ela se mudou para uma casa de repouso: o marido, com quem ela viveu 70 anos, morreu recentemente, e não havia outra solução..Depois de esperar pacientemente por duas horas na sala de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando a atendente veio dizer que seu quarto estava pronto. Vejamos alguns dos muitos conselhos que a fazem viver alegre: 
* Deixe fora os números que não são essenciais. Isto inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os médicos se preocupem com isso.  
* Aprenda sempre: Aprenda mais sobre computadores, artes, jardinagem, o que quer que seja. Não deixe que o cérebro se torne preguiçoso.
* Valorize as pequenas coisas. Todas têm sua grandeza. 
* A única pessoa que fica conosco toda a nossa vida somos nós mesmos. Viva bem enquanto estiver vivo.
* Rodeie-se das coisas que ama: Quer sejam a família, animais, plantas, hobbies, o que quer que seja. O seu lar é o seu refugio.
* Tome cuidado com a sua saúde:
* Diga às pessoas que ama, que as ama a cada oportunidade.
* Paixão não é amor. Os apaixonados são muitas vezes egoístas.
Amor é algo que supera qualquer expectativa.
E como está escrito, “o amor tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. 
* Existe um amor que nos une e é maior que qualquer outro sentimento. O amor do Senhor por nós. Esse é chamado amor “Ágape”.
Esse amor é tudo: puro, sincero, fiel. Que o amor Ágape do Senhor inunde o teu coração.
"Um amor puro, fiel, único, verdadeiro, incomparável, eterno... 

Padre Marcelo
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

A Fábula Do Porco Espinho


Durante a era glacial, muitos animais morriam por causa do frio. Os porcos-espinhos, percebendo a situação, resolveram se juntar em grupos, assim se agasalhavam e se protegiam mutuamente. Mas os espinhos de cada um feriam os companheiros mais encostados, justamente os que ofereciam mais calor. Restavam duas alternativas apenas: afastar-se uns dos outros e morrer congelados acabando com a raça,  ou aceitar os espinhos dos companheiros, suportando as pequenas feridas que a proximidade física podia causar, pois o mais importante era o calor do outro. Decidiram sabiamente viver juntos. E assim sobreviveram até hoje.

Lição: O melhor do relacionamento não é aquele que une pessoas perfeitas, mas aquele onde cada um aprende a conviver pacificamente com os defeitos do outro.

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

Pouco, Mais De Coração


Um mendigo estava sentado junto a uma calçada e descansava. Súbito vê aproximar-se um homem bem vestido. Devia ser um empresário ou até um príncipe. Quando ele se aproximou, o pobre estendeu a mão, pedindo uma esmola. Mas, por incrível que parecesse, também o estranho lhe pediu uma esmola. “Esse sujeito está brincando comigo”.
Ante a insistência do transeunte, remexeu sua sacola e lhe deu cinco grãos de arroz. Seria um revide, como quem diz: “toma lá e não zombes de mim”.
 Em troca o príncipe lhe deu cinco moedas de ouro. Mudando de fisionomia, o mendigo disse alegremente:
- Senhor, devo ter mais alguma coisa.
Enquanto remexia suas sacolas, o príncipe foi saindo, deixando-o gritar cada vez mais forte:
- Ei! Espere! Tenho mais coisas para lhe dar.
Mas era tarde. Não façamos assim com nosso Pai. Sejamos generosos, mesmo com o pouco que temos. Jesus nunca se deixa vencer em generosidade. 

Ângelo Martínez
Colaboração: Carlos E. Della Justina
Ola amigos...

Voltando hoje com novas publicações. Espero contar sempre com o carinho de cada leitor(a) em mais essa jornada. E para os que puderem me acompanhem através do site: www.luzevidafm.com.br estou no ar de segunda a sexta a partir das 13:00 horas.
Abraços.

Carlos