Paginas

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Coisas Esquecidas


Coisa boa é o tempo de namoro.
Tempo quando sentimos que somos importantes. O outro preocupa-se, telefona, faz carinho, diz coisas ridiculamente lindas ao nosso ouvido, faz surpresas, dá a mão e beijos intermináveis.
Mas a longa convivência vai apagando aos poucos o essencial de um relacionamento.
Acostuma-se tanto ao outro que certas coisas perdem o sentido.
Esquece-se do beijo na saída e na chegada. E... de antes de dormir.
Esquece-se do abraço bem apertado que diz tanto sem dizer nada.
Esquece-se de datas importantes e comuns aos dois.
Esquece-se de andar lado a lado.
Esquece-se do te amo, do estou feliz porque tenho você.
Esquece-se do poder de uma flor.
Esquece-se... do namoro!
Fala-se do passado como no bom tempo. Mas... passado!
E as pessoas surpreendem-se por viverem tão afastadas vivendo juntas.
Um se deita mais cedo, o outro mais tarde; um se levanta, o outro fica.
Fazem amor por obrigação.
Culpa de quem? Dos dois.
Quando há um problema entre um casal a culpa é fatalmente dos dois lados. Uma coisa conduz a outra.
E muitos casais seguem assim. Juntos, apesar de tudo, cada um do seu lado sofre interiormente de solidão. Cada um sonha, secretamente, com emoções esquecidas, com grandes paixões.
E ninguém pensa em reacender a brasa. Ninguém pensa em reconquistar o que se tem,
justamente porque se tem. Mas há tanto que pode ser feito!
Lembre-se das coisas esquecidas!
Lembre-se do início.
O que foi mesmo que te conquistou no outro? Inversamente, pense no que foi em você que conquistou o outro coração.
Reaviva a chama!
Nunca permita que o essencial morra por causa de trabalho, estresse, filhos e atividades extras.
É essencial estar juntos. Mas, mais que isso, amar juntos de amor inteiro.
É preciso cuidar do amor como se cuida de algo frágil.
A pessoa amada não faz parte dos móveis da casa.
Cuide dela e cuide-se. Antes que a vida a dois caia no esquecimento.
Não se esqueça de lembrar-se das coisas esquecidas! Amor não é só para os jovens não.
Paixão faz bem em qualquer idade. Carinho nunca é demais. Atenção cativa. Reaprenda a amar aquela pessoa que um dia fez bater seu coração mais forte.
Muitas coisas podem ficar esquecidas. Mas o amor, ele mesmo, nunca se esquece!

Letícia Thompson
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 28 de junho de 2012

Olhe para Cima


Se você colocar um falcão em um cercado de um metro quadrado e inteiramente
aberto em cima ele se tornará um prisioneiro, apesar de sua habilidade para
o vôo.
A razão é que um falcão sempre começa seu vôo com uma pequena corrida
em terra.
Sem espaço para correr, nem mesmo tentará voar e permanecerá um
prisioneiro pelo resto da vida, nessa pequena cadeia sem teto.
O morcego, criatura notavelmente ágil no ar, não pode sair de um lugar
nivelado.
Se for colocado em um piso complemente plano tudo que ele
conseguirá fazer é andar de forma confusa, dolorosa, procurando alguma
ligeira elevação de onde possa se lançar.
Um zangão, se cair em um pote aberto ficará lá até morrer ou ser removido.
Ele não vê a saída no alto, por isso, persiste em tentar sair pelos lados,
próximo ao fundo.
Procurará uma maneira de sair onde não existe nenhuma, até
que se destrua completamente de tanto atirar-se contra as paredes do vidro...

Existem pessoas como o falcão, o morcego e o zangão : atiram-se
obstinadamente contra os obstáculos , sem perceber que a saída está logo acima.
Se você está como um zangão, um morcego ou um falcão, cercado de problemas
por todos os lados, olhe para cima !

E lá estará DEUS: à distância apenas de uma oração!!!

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 26 de junho de 2012

Caminhão de Esperança


Vez por outra acreditamos que não temos mais caminhos a percorrer sozinhos e estacionamos nosso caminhão de esperanças na beira da estrada.
Nunca se amadurece o suficiente a ponto de estarmos preparados para retomar o trajeto desacompanhados. Mas somos nós mesmos os únicos responsáveis por nossas esperanças.
Quando corremos até a estação e iludidos observamos os passageiros que descem do trem, criamos expectativas a respeito de cada um deles e muitos nos ajudam a aumentá-las, contribuindo para que nossos sonhos tomem proporções desastrosas.
Passado pouco tempo eles embarcam no mesmo trem que chegaram, nos deixam um simples até logo, querendo nos fazer crer que ainda voltarão, mas sabemos que isso não é verdade, porque cada trem que parte daquela estação, não retorna.
No entanto outros chegarão, carregados de pessoas e boas intenções, mas como os anteriores, também farão uma parada rápida... e então? será que teremos aprendido a lição?
Melhor talvez voltarmos para aquela estrada, tomarmos novamente o comando daquele caminhão que deixamos abandonado e carregarmos todas aquelas esperanças para algum lugar mais seguro, algum lugar onde ninguém possa lançar mão delas como se fosse uma diversão.
Nossas esperanças são a parte mais valiosa das nossas vidas. É através delas que respiramos no dia a dia, que conservamos nosso lado inocente, que conseguimos atravessar o hoje e chegarmos ao amanhã.
Podar as esperanças de alguém deveria constar do código penal como crime hediondo, inafiançavel e sujeito a pena máxima.
... mas segue a estrada, enfrenta os buracos, as lombadas, as curvas perigosas, a chuva, a noite fria, porque em algum lugar... ela há de chegar.

Silvana Duboc
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 25 de junho de 2012

O pastor e o leão


Certo dia, ao contar suas Ovelhas, um Pastor chegou à conclusão que algumas estavam faltando. Muito bravo, aos gritos, cheio de presunção e arrogância, disse que gostaria de pegar o responsável por aquilo e puni-lo, com suas próprias mãos, da forma merecida.
Suspeitava de um Lobo que vira afastar-se em direção a uma região rochosa entre as colinas, onde existiam cavernas infestadas deles.
Mas, antes de ir até lá, fez uma promessa aos deuses, dizendo que lhes daria em sacrifício, a mais gorda e bela das suas Ovelhas, se estes lhes ajudassem a encontrar o ladrão.
Após procurar em vão, sem encontrar, nenhum Lobo, quando passava diante de uma grande caverna ao pé da montanha, um enorme Leão, saindo de dentro, põe-se à sua frente, carregando na boca uma de suas Ovelhas. Cheio de pavor o Pastor cai de joelhos e suplica aos deuses:
"Piedade, bondosos deuses, os homens não sabem o que falam! Para encontrar o ladrão ofereci em sacrifício a mais gorda das minhas ovelhas. Agora, prometo-lhe o maior e mais belo Touro, desde que faça com que o ladrão vá embora para longe de mim!"
Conclusão: Quando encontramos aquilo que procuramos, logo tende a cessar nosso interesse inicial.
Moral da História:
Se os benefícios de uma coisa não nos são garantidos, devemos pensar duas vezes antes de desejá-la.


Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Uma Linda História


No Brooklyn, Nova Iorque, Chush é uma escola que se dedica ao ensino de crianças especiais.
Algumas crianças ali permanecem por toda a vida escolar, enquanto outras podem ser encaminhadas a escolas comuns.
Em um jantar beneficente de Chush, o pai de uma criança fez um discurso que nunca mais seria esquecido pelos que ali estavam presentes.
Depois de elogiar a escola e seu dedicado pessoal, perguntou ele:
Onde está a perfeição em meu filho Pedro, se tudo o que DEUS faz é feito com perfeição?
Meu filho não pode entender as coisas como outras crianças entendem.
Meu filho não pode se lembrar de fatos e números como as outras crianças.
Então,onde está a perfeição de Deus?
Todos ficaram chocados com a pergunta e com o sofrimento daquele pai. Mas ele continuou.
Acredito que quando Deus traz uma criança especial ao mundo, a perfeição que Ele busca está no modo como as pessoas reagem diante desta criança.
Então ele contou a seguinte história sobre o seu filho Pedro.
Uma tarde, Pedro e eu caminhávamos pelo parque onde alguns meninos que o conheciam, estavam jogando beisebol. Pedro perguntou-me:
- Papai, você acha que eles me deixariam jogar? Eu sabia das limitações do meu filho e que a maioria dos meninos não o queria no time.
Mas entendi que se Pedro pudesse jogar com eles, isto lhe daria uma confortável sensação de participação.
Aproximei-me de um dos meninos no campo e perguntei-lhe se Pedro poderia jogar.
O menino deu uma olhada ao redor, buscando a aprovação de seus companheiros de time e mesmo não conseguindo nenhuma aprovação, ele assumiu a responsabilidade e disse:
- Nós estamos perdendo por seis rodadas e o jogo está na oitava.
- Acho que ele pode entrar em nosso time e tentaremos colocá-lo para bater até a nona rodada.
Fiquei admirado quando Pedro abriu um grande sorriso ao ouvir a resposta do menino.
Pediram então que ele calçasse a luva e fosse para o campo jogar.
No final da oitava rodada, o time de Pedro marcou alguns pontos, mas ainda estava perdendo pôr três.
No final da nona rodada, o time de Pedro marcou novamente e agora com dois fora e as bases com potencial para a rodada decisiva, Pedro foi escalado para continuar.
Um questionamento, porém, veio à minha mente: o time deixaria Pedro, de fato, rebater nesta circunstância e jogar fora a chance de ganhar o jogo?
Surpreendentemente, foi dado o bastão a Pedro.
Todo o mundo sabia que isto seria quase impossível, porque ele nem mesmo sabia segurar o bastão.
Porém, quando Pedro tomou posição, o lançador se moveu alguns passos para arremessar a bola de maneira que Pedro pudesse ao menos rebater.
Foi feito o primeiro arremesso e Pedro balançou desajeitadamente e o perdeu.
Um dos companheiros do time de Pedro foi até ele e juntos seguraram o bastão e encararam o lançador.
O lançador deu novamente alguns passos para lançar a bola suavemente para Pedro.
Quando veio o lance, Pedro e o seu companheiro de time balançaram o bastão e juntos rebateram a lenta bola do lançador.
O lançador apanhou a suave bola e poderia tê-la lançado facilmente ao primeiro homem da base, Pedro estaria fora e isso teria terminado o jogo.
Ao invés disso, o lançador pegou a bola e lançou-a em uma curva, longa e alta para o campo, distante do alcance do primeiro homem da base.
Então todo o mundo começou a gritar:
- Pedro, corra para a primeira base. Corra para a primeira.
Nunca em sua vida ele tinha corrido.
Mas saiu em disparada para a linha de base, com os olhos arregalados e assustado.
Até que ele alcançasse a primeira base, o jogador da direita teve a posse da bola.
Ele poderia ter lançado a bola ao segundo homem da base, o que colocaria Pedro para fora, pois ele ainda estava correndo.
Mas o jogador entendeu quais eram as intenções do lançador, assim, lançou a bola alta e instante, acima da cabeça do terceiro homem da base.
Todo o mundo gritou:
- Corra para a segunda, corra para a segunda base.
Pedro correu para a segunda base, enquanto os jogadores à frente dele circulavam deliberadamente para a base principal.
Quando Pedro alcançou a segunda base, a curta parada adversária colocou-o na direção de terceira base e todos gritaram.
- Corra para a terceira. Quando Pedro contornou a terceira base, os meninos de ambos os times correram atrás dele gritando:
- Pedro, corra para a base principal.
Pedro correu para a base principal, pisou nela e todos os 18 meninos o ergueram nos ombros fazendo dele o herói, como se ele tivesse vencido o campeonato e ganhado o jogo para o time dele.
Naquele dia, disse o pai, com lágrimas caindo sobre a face, aqueles 18 meninos alcançaram a Perfeição de Deus. Eu nunca tinha visto um sorriso tão lindo no rosto do meu filho!”.

De autoria desconhecida
Apresentação por Renato Cardoso
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 18 de junho de 2012

Sempre Mais


· Dê mais às pessoas, MAIS do que elas esperam, e faça com alegria.
· Decore seu poema favorito.
· Não acredite em tudo que você ouve, gaste tudo o que você tem e durma tanto quanto você queira.
· Quando disser "Eu te amo" olhe as pessoas nos olhos.
· Fique noivo pelo menos seis meses antes de se casar.
· Acredite em amor à primeira vista.
· Nunca ria dos sonhos de outras pessoas.
· Ame profundamente e com paixão.
· Você pode se machucar, mas é a única forma de viver a vida completamente.
· Em desentendimento, brigue de forma justa, não use palavrões.
· Não julgue as pessoas pelo seus parentes.
· Fale devagar mas pense com rapidez.
· Quando alguém perguntar algo que você não quer responder, sorria e pergunte: "Porque você quer saber?".
· Lembre-se que grandes amores e grandes conquistas envolvem riscos.
· Ligue para sua mãe.
· Diga "saúde" quando alguém espirrar.
· Quando você se deu conta que cometeu um erro, tome as atitudes necessárias.
· Quando você perder, não perca a lição.
· Lembre-se dos três Rs: Respeito por si próprio, respeito ao próximo e responsabilidade pelas ações.
· Não deixe uma pequena disputa ferir uma grande amizade.
· Sorria ao atender o telefone, a pessoa que estiver chamando ouvirá isso em sua voz.
· Case com alguém que você goste de conversar. Ao envelhecerem suas aptidões de conversação serão tão importantes quanto qualquer outra.
· Passe mais tempo sozinho.
· Abra seus braços para as mudanças, mas não abra mão de seus valores.
· Lembre-se de que o silêncio, às vezes, é a melhor resposta.
· Leia mais livros e assista menos TV.
· Viva uma vida boa e honrada. Assim, quando você ficar mais velho e olhar para trás, você poderá aproveitá-la mais uma vez.
· Confie em Deus, mas tranque o carro.
· Uma atmosfera de amor em sua casa é muito importante. Faça tudo que puder para criar um lar tranquilo e com harmonia.
· Em desentendimento com entes queridos, enfoque a situação atual.
· Não fale do passado.
· Leia o que está nas entrelinhas.
· Reparta o seu conhecimento. É uma forma de alcançar a imortalidade.
· Seja gentil com o planeta.
· Reze. Há um poder incomensurável nisso.
· Nunca interrompa enquanto estiver sendo elogiado.
· Cuide da sua própria vida.
· Não confie em alguém que não fecha os olhos enquanto beija.
· Uma vez por ano, vá a algum lugar onde nunca esteve antes.
· Se você ganhar muito dinheiro, coloque-o a serviço de ajudar os outros, enquanto você for vivo. Esta é a maior satisfação de riqueza.
· Lembre-se que o melhor relacionamento é aquele em que o amor de um pelo outro é maior do que a necessidade de um pelo outro.
· Julgue seu sucesso pelas coisas que você teve que renunciar para conseguir.
· Lembre-se de que seu caráter é seu destino.
· Usufrua o amor e a culinária com abandono total.

Dalai Lama
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Reflexão Sobre a Vida e o Amor


Às vezes as pessoas que amamos nos magoam, e nada podemos fazer senão continuar nossa jornada com nosso coração machucado.
Às vezes nos falta esperança, mas alguém aparece para nos confortar.
Às vezes o amor nos machuca profundamente, e vamos nos recuperando muito lentamente dessa ferida tão dolorosa.
Às vezes perdemos nossa fé, então descobrimos que precisamos acreditar, tanto quanto precisamos respirar, é nossa razão de existir.
Às vezes estamos sem rumo, mas alguém entra em nossa vida, e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio de centenas de pessoas, e a solidão aperta nosso coração pela falta de uma única pessoa.
Às vezes a dor nos faz chorar, nos faz sofrer, nos faz querer parar de viver, até que algo toque nosso coração, algo simples como a beleza de um por do sol, a magnitude de uma noite estrelada, a simplicidade de uma brisa batendo em nosso rosto, é a força da natureza nos chamando para a vida.
Você descobre que as pessoas que pareciam ser sinceras e receberam sua confiança, te traíram sem qualquer piedade.
Percebe que não há como distinguir os bons e os maus, pois poucos nascem assim, a vida é que os torna melhores ou piores, pelas tristezas e felicidades que passaram e experiências vivenciadas. É como se a vida fosse formada por corações e cruzes, onde os corações representam nossos momentos felizes, o carinho e amor que recebemos, e as cruzes são nossas dores, decepções, sofrimentos, momentos ruins pelos quais passamos.
Então você poderá entender que alguns de nós vivenciaram pouquíssimas cruzes e muitos corações o que fará com que essas pessoas tenham muito mais amor a transmitir, outras passaram pelo contrário e são predominantemente frias, insensíveis, buscam coisas materiais, acreditam que os fins justificam os meios, com essas é preciso ter cuidado, alguns podem mudar e melhorar, outros podem mudar você e trazê-lo para a realidade deles.
Assim ao conhecer alguém preste atenção no caminho que essa pessoa percorreu. Não deixe de acreditar no amor, mas certifique-se de estar entregando seu coração para alguém que dê valor aos mesmos sentimentos que você dá, manifeste suas idéias e planos, para saber se vocês combinam, esteja aberto a algumas alterações, mas jamais abra mão de tudo, pois se essa pessoa te deixar, então nada irá lhe restar.
Aproveite ao máximo seus momentos de felicidade, quando menos esperamos iniciam-se períodos difíceis em nossas vidas. Tenha sempre em mente que às vezes tentar salvar um relacionamento, manter um grande amor, pode ter um preço muito alto se esse sentimento não for recíproco, pois em algum outro momento essa pessoa irá te deixar e seu sofrimento será ainda mais intenso, do que teria sido no passado.
Pode ser difícil fazer algumas escolhas, mas muitas vezes isso é necessário, existe uma diferença muito grande entre conhecer o caminho e percorrê-lo.
Não procure querer conhecer seu futuro antes da hora, nem exagere em seu sofrimento, esperar é dar uma chance à vida para que ela coloque a pessoa certa em seu caminho.
A tristeza pode ser intensa, mas jamais será eterna.
A felicidade pode demorar a chegar, mas o importante é que ela venha para ficar e não esteja apenas de passagem, como acontece com muitas pessoas que cruzam nosso caminho.

François de Bitencourt ...
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Desabafo


Na fila do supermercado, o caixa diz a uma senhor idoso:
- O senhor deveria trazer suas próprias sacolas para as compras, uma vez que sacos de plástico não são amigáveis ao meio ambiente.
O senhor pediu desculpas e disse:
- Não havia essa onda verde no meu  tempo.
O empregado respondeu:
- Esse é exatamente o nosso problema hoje meu senhor. Sua geração não se preocupou o suficiente com nosso meio ambiente.
- Você está certo  responde o velho senhor
 - Nossa geração não se preocupou adequadamente com o meio ambiente.
Naquela época, as garrafas de leite, garrafas de refrigerante e cerveja eram devolvidas à loja. A loja mandava de volta para a fábrica, onde eram lavadas e esterilizadas antes de cada reúso e eles, os fabricantes de bebidas, usavam as garrafas, umas tantas outras vezes.
Realmente não nos preocupamos com o meio ambiente no nosso tempo.   
Subíamos as escadas, porque não havia escadas rolantes nas lojas e nos escritórios. Caminhávamos até o comércio, ao invés de usar o nosso carro de 300 cavalos de potência a cada vez que precisávamos ir a dois quarteirões.
Mas você está certo. Nós não nos preocupávamos com o meio ambiente.   
Até então, as fraldas de bebês eram lavadas porque não havia fraldas descartáveis. Roupas secas: a secagem era feita por nós mesmos, não nestas máquinas bamboleantes de 220 volts. A energia solar e eólica é que realmente secavam nossas roupas. Os meninos pequenos usavam as roupas que tinham sido de seus irmãos mais velhos, e não roupas sempre novas.
Mas é verdade: não havia preocupação com o meio ambiente naqueles dias.   
Naquela época  tínhamos somente uma TV ou rádio em casa, e não uma TV em cada quarto. E a TV tinha uma tela do tamanho de um lenço, não um telão do tamanho de um estádio; que depois será descartado como?
Na cozinha, tínhamos que bater tudo com as mãos porque não havia máquinas elétricas que fazem tudo por nós. Quando embalávamos algo um pouco frágil para o correio, usávamos jornal amassado para protegê-lo, não plástico bolha ou pellets de plástico que duram cinco séculos para começar a degradar. Naquele tempo não se usava um motor a gasolina apenas para cortar a grama, era utilizado um cortador de grama que exigia músculos. O exercício era extraordinário, e não precisava ir a uma academia e usar esteiras que também funcionam com eletricidade.
Mas você tem razão: não havia naquela época preocupação com o meio ambiente.  
Bebíamos diretamente da fonte, quando estávamos com sede, em vez de usar copos plásticos e garrafas pet que agora lotam os oceanos. As canetas, recarregávamos com tinta umas tantas vezes ao invés de comprar uma outra. Afiávamos as navalhas, ao invés de jogar fora todos os aparelhos 'descartáveis' e poluentes só porque a lámina ficou sem corte.
Na verdade, tivemos uma onda verde naquela época. Naqueles dias, as pessoas tomavam o bonde ou ônibus e os meninos iam em suas bicicletas ou a pé para a escola, ao invés de usar a mãe como um serviço de táxi 24 horas. Tínhamos só uma tomada em cada quarto, e não um quadro de tomadas em cada parede para alimentar um número incontável  de aparelhos. E nós não precisávamos de um GPS para receber sinais de satélites a milhas de distância no espaço, só para encontrar a pizzaria mais próxima.
Dá vontade de rir vendo que a atual geração fale tanto em meio ambiente, mas não quer abrir mão de nada.
Que tal pensar  em viver um pouco como na minha época?


Enviado por Miriam Dinana Marino
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 12 de junho de 2012

Dia dos Namorados


Dia dos Namorados - Para Refletir



COMO FAZER UM AMOR DURAR...

Essa mensagem dedico a todos os namorados... Que leiam e reflitam.
Quem ama de verdade não prende.
Feliz Dia dos Namorados!!!



Uma senhora e sua filha estavam caminhando pela praia. 
Num certo ponto, a menina perguntou à mãe: 
- Mãe, como se faz para manter um amor?
A mãe olhou para a filha e respondeu:
- Pegue um pouco de areia e feche a mão com força... 
A menina assim fez e reparou que quanto mais forte apertava a areia com a mão, com mais velocidade a areia escapava pelos seus dedos.
- Mamãe, mas assim a areia cai! 
A mãe lhe disse:
- Eu sei... Agora, abra completamente a sua mão!
A menina assim o fez, mas veio um vento forte e levou consigo a areia que restava em sua mão...
- Assim também não consigo mantê-la na minha mão - disse a filha. 
A mãe, sempre sorridente, respondeu-lhe: 
- Agora, pegue outra vez um pouco de areia e mantenha a sua mão semi-aberta, como se fosse uma colher..., bastante fechada para protegê-la, e bastante aberta para lhe dar liberdade!
A menina experimenta e vê que, dessa forma, a areia não escapa de sua mão e está protegida do vento. 
Então, sorridente, sua mãe lhe explicou: 
- É assim que se faz durar um amor!

segunda-feira, 11 de junho de 2012

Você Mora Dentro de Mim


Eu te Amo...
E te amarei durante toda minha eternidade...

Te amarei nos seus gestos,
Te amarei no seu sorriso,
Te amarei na sua voz,
Te amarei no que você é!
Sim, eu te amarei em tudo...

No ar que respiramos,
num simples cântico dos pássaros,
no alvorecer, no crepúsculo,
na morte...

Eu te amarei no sol que explode sua luz para iluminar a Terra.
Te amarei nas chuvas que caem... Na vida... No fim...

E Nem mesmo o céu ou o inferno podem tirar esse sentimento de mim.
Sim, eu quero te amar,
Te amar nas minhas horas de tristezas,
pois sua lembrança só me traz alegrias...

Te amar quando a alegria chegar,
pois amor e alegria é a própria felicidade
e sou feliz enquanto te amo...

Sim, mesmo que em minha vida não exista trevas,
Quero te amar.

Mesmo que o amor se torne algo extinto,
Quero te amar.

Mesmo que a luz do mundo se acabe,
Quero te amar.

E somente a vontade de Deus
seria capaz de me tirar todo esse amor
que alimenta minha própria existência...

Você mora dentro de mim...


Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 1 de junho de 2012

O Presente É de Quem o Recebe


O mestre mostrava-se na praça ensinando os seus discípulos algumas lições da vida, quando se aproximaram dele alguns malfeitores.
Receosos, os discípulos recuaram, mas o mestre permaneceu imóvel no meio da praça.
Os arruaceiros começaram então a insultar o mestre, atirando-lhe pedras e dizendo-lhe desaforos.
Ele, porém, não reagia.
Seus discípulos quiseram intervir, mas pararam ao sinal do mestre, que lhes pediu que nada fizessem.
E assim os malfeitores, não percebendo reação alguma, cansaram-se e foram embora.
Os discípulos então se aproximaram do mestre e perguntaram:
– Mestre, por que o senhor não reagiu aos insultos nem deixou que nós fizéssemos? Eles eram poucos e nós somos muitos, poderíamos acabar com eles. O mestre calmamente perguntou:
– Se alguém lhe trouxer um presente e você não receber, com quem fica o presente?
 – Com a pessoa que o trouxe
– responderam todos.
– Então
– concluiu o mestre
– os malfeitores tiveram de levar seus insultos de volta, pois nós não os recebemos.
Existe em você uma força capaz de separar aquilo que lhe faz bem daquilo que lhe faz mal. Em todos os seus relacionamentos você pode acionar esta força que o levará a aceitar o que lhe faz bem e rejeitar o que lhe faz mal. Naturalmente…

Postado por Francisco Fagner
Colaboração: Carlos E. Della Justina