Paginas

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Vida De Elefante

Você já observou elefante no circo? Durante o espetáculo, o enorme animal faz demonstrações de força descomunais. Mas, antes de entrar em cena, permanece preso, quieto, contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo.
A estaca é só um pequeno pedaço de madeira.
E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele, capaz de derrubar uma árvore com sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir.
Que mistério! Por que o elefante não foge?
Há alguns anos descobri que, por sorte minha, alguém havia sido bastante sábio para encontrar a resposta: o elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno.
Fechei os olhos e imaginei o pequeno recém-nascido preso: naquele momento, o elefantinho puxou, forçou, tentando se soltar.
E, apesar de todo o esforço, não pôde sair. A estaca era muito pesada para ele. E o elefantinho tentava, tentava e nada. Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino: ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo.
Então, aquele elefante enorme não se solta porque acredita que não pode.
Para que ele consiga quebrar os grilhões é necessário que ocorra algo fora do comum, como um incêndio por exemplo.
O medo do fogo faria com que o elefante em desespero quebrasse a corrente e fugisse...
Isso muitas vezes acontece conosco! Vivemos acreditando em um montão de coisas ? que não podemos ter? que não podemos ser? que não vamos conseguir..., simplesmente porque, quando éramos crianças e inexperientes, algo não deu certo ou ouvimos tantos nãos que a corrente da estaca ficou gravada na nossa memória com tanta força que perdemos a criatividade e aceitamos o "sempre foi assim..."
Poderia dizer que o fogo para nós seria: a perda de um emprego, ou algum Outro problema ou algo que nos fizesse sair da zona de conforto.
A única maneira de tentar de novo é não ter medo de enfrentar as barreiras, colocar muita coragem no coração e não ter receio de arrebentar as correntes! Não espere que o seu "circo" pegue fogo para começar a se movimentar. Vá em frente!

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Sonhos

Quando os nossos sonhos se acabam, fica um vazio imenso, Uma vontade de parar, De desistir de tudo...
É um período difícil, em que os dias, as horas, e até os segundos são longos...
Não conseguimos progredir...
Falta vontade, motivação...
Fechamo-nos para tudo e para todos, como se nada importasse, nada tivesse algum valor...
Vamos nos destruindo pouco a pouco...
Por que será que muitas coisas em que acreditamos, chegam ao fim?
Acreditamos na felicidade eterna, e muitas vezes ela não passa de um pequeno tempo...
Tempo suficiente para deixar uma saudade infinita...
Até que um dia...
Um novo sonho começa a dar o ar de sua graça, chegando de mansinho, tentando abrir os cadeados do nosso coração...
Estamos trancados, com um enorme medo de sofrer de novo. Mas mesmo assim, o novo sonho vem chegando, trazendo na mala tudo de novo...
E como todo novo sonho, é regado de novidades que fascinam, mexendo com emoções adormecidas, trazendo de volta a emoção de viver, amar, recomeçar!
Nesta hora, quando tudo ressurge, podemos avaliar melhor a vida...
Temos que transformar cada pequeno instante, em grandes momentos...
Eliminar tudo que maltrata o nosso corpo, o nosso espírito, e dar lugar somente ao que nos engrandece como verdadeiro ser humano e filho de Deus!
E se os seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe...
Eles estão no lugar certo.
Construa os alicerces, e SUBA!
Nunca desista de ser feliz!
SONHE, pois o SONHO comanda a vida!!!
Atreve-te a SONHAR e encontra a FELICIDADE .

Eliene Menezes
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 27 de setembro de 2011

Seu Cavalo Pode Voar

Um poderoso rei condenou um humilde súdito à morte.
O homem, prestes a ser executado, propôs e teve a concordância do rei, permiti-lo ensinar o cavalo real a voar.
Caso não conseguisse, no prazo de um ano, então sua sentença Seria cumprida.
"Por que adiar o inevitável?" perguntou-lhe um amigo. "Não é inevitável," ele respondeu, "as chances são Quatro a um a meu favor. Dentro de um ano:
O rei pode perder o trono.
Eu posso Fugir.
O Cavalo pode fugir.
Eu posso ensinar o cavalo a voar...
Freqüentemente nos vemos diante de obstáculos difíceis e aparentemente impossíveis de transpor.
Por mais que busquemos soluções, elas parecem não existir. O primeiro impulso nos convida a desistir, mas é preciso que jamais esqueçamos que para Deus todas as coisas são possíveis.
Há alguns séculos atrás, costumava-se dizer que o homem jamais poderia voar.
"Se Deus quisesse que o homem voasse, teria lhe dado asas."
Porém, hoje, em poucas horas o homem atravessa um oceano e vai para outro continente!
Assim como o súdito de nossa história, aprendamos a olhar a situação com otimismo. Para cada possibilidade adversa, muitas favoráveis poderão ser encontradas, e, com muita fé e determinação, o que parecia impossível logo será realidade.
Não esmoreça nunca. Mesmo que tudo indique o contrário, creia: o seu cavalo pode voar!

Paulo Barbosa
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A Crise

Era uma vez um homem que vivia à beira de uma estrada, onde vendia cachorro-quente. Ele não ouvia bem, por isso não tinha rádio. Tinha problemas de visão, por isso não lia jornais.
Mas ele vendia cachorro-quente.
Colocava cartazes na estrada, fazendo propaganda da qualidade de seu produto. Ficava na beira da estrada e oferecia o seu produto em alta voz, e o povo comprava.
Lentamente foi aumentando as vendas e cada vez mais aumentava a compra de salsicha e de pão. Comprou um fogão industrial para melhor atender os fregueses. O negócio prosperava: o homem conseguiu até mesmo enviar seu filho para estudar na capital.
Certo dia, o filho, já formado, retornou para cuidar do pai e viu que as coisas não mudavam naquele lugar. Em casa, chegou logo dizendo ao pai: Você não ouve rádio! Nem lê jornais! Há uma crise no mundo. A situação na Europa é terrível e a do Brasil ainda pior. Tudo está indo para o vinagre.
O pai logo pôs-se a refletir: "Meu filho estudou, lê jornais, ouve rádio e só pode estar com a razão." Então resolveu reduzir as compras de salsicha e de pão. Tirou os cartazes de propaganda e já não anunciava tão alto seu cachorro-quente, abatido que estava pela notícia da crise.
As vendas foram caindo, caindo, caindo...
Então o pai finalmente disse ao filho:
- Você estava certo, meu filho. Nós certamente estamos vivendo uma grande crise."

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Nunca Pare De Sonhar

Havia no alto de uma montanha três árvores.
Elas sonhavam com o que iriam ser depois de grandes.
A primeira, olhando as estrelas disse: eu quero ser o baú mais precioso do mundo e viver cheia de tesouros.
A segunda, olhando um riacho suspirou: eu quero ser um navio bem grande para transportar reis e rainhas.
A terceira olhou para o vale e disse: quero crescer e ficar aqui no alto da montanha; quero crescer tanto que as pessoas ao olharem para mim, levantem os olhos e pensem em Deus.
Muitos anos se passaram, as árvores cresceram. Surgiram três lenhadores que, sem saber do sonho das árvores, cortaram as três. A primeira árvore acabou se transformando num cocho de animais, coberto de feno. A segunda virou um barco de pesca transportando pessoas e peixes todos os dias. A terceira foi cortada em vigas e deixada num depósito. Desiludidas as três árvores lamentaram os seus destinos.
Mas, numa certa noite, com o céu cheio de estrelas, uma jovem mulher colocou o seu bebê recém-nascido naquele cocho.
De repente, a árvore percebeu que continha o maior tesouro do mundo.
A segunda, certo dia, transportou um homem que acabou por dormir no barco.
E, quando uma tempestade quase afundou o barco, o homem levantou-se e disse PAZ!!
E, imediatamente, as águas se acalmaram.
E a árvore transformada em barco entendeu que transportava o rei dos céus e da terra.
Tempos mais tarde, numa Sexta-feira, a árvore espantou-se quando as vigas foram unidas em forma de cruz e um homem foi pregado nela.
A árvore sentiu-se horrível vendo o sofrimento daquele homem.
Mas logo entendeu que aquele homem salvou a humanidade e as pessoas logo se lembrariam de Deus ao olharem para a cruz.
O exemplo das árvores é um sinal de que é preciso sonhar e ter fé.
SEMPRE !!!
Não importa o tamanho dos sonhos que você tenha, sonhe muito e sempre. Mesmo que seus sonhos não se realizem exatamente como você desejou, saiba que eles se concretizarão da maneira que Deus entendeu ser a melhor para você.
"Uma nuvem não sabe por que se move em tal direção e em tal velocidade. Sente apenas um impulso que a conduz para esta ou aquela direção. Mas o céu sabe os motivos e os desenhos por trás de todas as nuvens, e você também saberá, quando se erguer o suficiente para ver além dos horizontes."

Richard Bach
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Qual Foi a Melhor Coisa ?

Hoje em dia, com as máquinas digitais registramos com facilidade os momentos de nossas vidas.
É tão bom olhar para aquelas imagens e trazer a tona lembranças, doces lembranças.
Mas o que chama a atenção, é que me parece que ao rever aquelas imagens e sentirmos a saudade de instantes que não voltam mais, descobrimos que realmente aqueles foram momentos felizes, ou seja, parece que quando vivemos aqueles momentos eles não foram tão valorizados, mas que ao rever as fotos, sim, descobrimos a real importância daqueles momentos passados.
Seria a saudade? Nostalgia? Ou o que pinta com mais brilho os velhos quadros de nossas lembranças?
Tenho um filho de 2 aninhos e a tarefa de fazê-lo dormir todas as noites, é alternada entre eu e minha esposa. Criamos o hábito de ao dormirmos fazer um resumo do que aconteceu no dia.
E a cada vez que fazemos isso, fortalecemos a idéia de quanta coisa gostosa acontece em nossos dias.
Perguntar ao meu garoto qual foi a coisa mais gostosa que aconteceu naquele dia, sempre nos proporcionou respostas no mínimo tocantes.
“Papai. Hoje a coisa mais gostosa foi brincar no parquinho”;
“Hoje foi assistir um filminho”;
“Foi brincar de cabana por debaixo dos lençóis”. E assim vai. Uma velha história que li, apresentava as seguintes palavras.
“Todos nós temos um momento diário de completa solidão. Quando é murmurado o último boa noite e a cabeça repousa sobre o travesseiro.
É a hora da oração. Da conversa com Deus. E pode ser também a hora de perguntar: Qual foi a melhor coisa que aconteceu hoje”?
As horas que passei durante o dia, podem ter sido cheias de tensão e até de sofrimento.
Mas, como quer que o dia se tenha terminado, há sempre uma coisa que foi a melhor ou várias coisas que ficam escondidas no nosso stress.
Raramente é uma grande coisa. Na maioria das vezes é um simples encantamento.
Receber uma carta inesperada de um amigo. Nadar em água fresca num dia escaldante. Um vislumbrar do pôr do sol num momento inesperado.
Há sempre alguma coisa diz a história. E o autor afirma, que por essa razão nunca na sua vida tomou uma pílula para dormir”.
E sabe que nessa experiência com meu filhinho de 2 anos, posso garantir que ratifiquei o que a história afirma.
Adormecer reprisando o que o dia teve de melhor é como rever as fotos e descobrir que a felicidade não é um objetivo que depende de algum acontecimento futuro. Ela está conosco todos os dias.
Basta fazermos um esforço para identificá-la.

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Alegria Sem Limites

Uma família se sentou à mesa, em determinada manhã, para tomar o café. Como era costume, o pai fez a oração de agradecimento pelo alimento, pedindo a Deus que abençoasse o que estavam comendo. Logo a seguir, porém, como era seu mau costume, começou a murmurar sobre os tempos difíceis e as lutas pelas quais estavam passando.
Reclamou da péssima comida que eram forçados a comer, da forma como ela era preparada e muito mais. Sua filha pequena, interrompendo-o, falou: "Pai, você acha que Deus ouviu o que disse há alguns minutos atrás"? "Certamente", respondeu o pai com ar confiante de um bom instrutor. "E Ele ouviu o que você disse sobre o café e o que comemos com ele"?
"Claro" o pai respondeu, mas não com tanta confiança como antes. Então, sua pequena filha perguntou novamente: " Então, pai, em qual de suas duas palavras Deus acreditou"? ...
Será que temos o mesmo hábito ruim do homem de nossa ilustração? Ou confiamos em Deus ou não confiamos.
Não podemos agradecer por Seus cuidados e por suas bênçãos e continuar reclamando de tudo e de todos. Ou a nossa fé está firmada no Senhor, crendo que todas as coisas cooperam para o nosso bem ou precisamos rever a nossa maneira de encarar a vida e o que é, de fato real.
Quando o Senhor Jesus está em nossos corações, toda a nossa vida é repleta de prazer. Alegramo-nos tanto quando passamos por momentos de grandes vitórias e fartura como quando enfrentamos fracassos e escassez.
A nossa felicidade não depende do muito ou do pouco, de bonança ou de batalhas, de glórias ou anonimato, mas simplesmente de ter confiança e fé em Deus.

Pr. Paulo Roberto Barbosa
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Nunca Abandone Seus Sonhos

A pequena Jean, na terceira série, era muito aplicada em seus estudos. Filha de um piloto, ela sonhava voar. Um dia, em uma redação, ela abriu seu coração e revelou seus sonhos:
- Quero ser piloto de avião, ver as nuvens, e saltar de pára-quedas!
A sua nota foi zero, porque, segundo sua professora, todas as profissões que ela listara não eram para mulheres. Era meado do século XX.
Nos anos seguintes, Jean foi massacrada pela negatividade de muitos adultos:
- Garotas não podem ser pilotos de avião. Não são suficientemente inteligentes para isso!
E ela desistiu.
No último ano do ensino médio, a professora de inglês pediu que os alunos escrevessem sobre o que estariam fazendo dentro de 10 anos. Ela apenas escreveu que seria garçonete. Afinal pensou:
- Isso eu seria capaz de fazer!
Duas semanas depois, a professora colocou a folha com a resposta de cada um dos alunos, virada para baixo, na frente de cada um deles, e agora pediu que escrevessem o que cada um deles faria se tivessem acesso às melhores escolas, a dinheiro ilimitado, e habilidades ilimitadas. Quando terminaram, ela disse:
- Tenho um segredo para todos vocês. Vocês podem conseguir tudo isso, se o desejarem de todo coração! Se não correrem atrás da concretização dos seus sonhos, ninguém o fará por vocês. Vocês têm muito potencial. Não deixem de utilizá-lo.
Jean ficou animada e ao mesmo tempo amedrontada. Depois da aula, foi falar com a professora e lhe contou sobre seu desejo de ser piloto.
- Então, seja! - foi o que ouviu.
E naquele momento Jean decidiu concretizar o seu sonho. Foram 10 anos de trabalho duro, encarando oposições, hostilidades, rejeição, e até humilhação. Tornou-se piloto particular. Conseguiu graduação para transportar carga e pilotar aviões de passageiros, mas não recebia promoção porque era mulher. Mas ela não desistiu.
Foi em frente. Fez tudo o que sua professora da terceira série disse que era impossível. Ela pulverizou plantações, pulou de pára-quedas centenas de vezes, e em 1978, Jean Harper foi uma das três primeiras mulheres a serem aceitas como piloto pela United Airlines. Por fim, tornou-se piloto de Boeing 737 na mesma empresa aérea.
Tudo, graças às palavras de encorajamento de sua professora de inglês, e de sua determinação em alcançar e concretizar seus sonhos.
Quando éramos crianças não havia limites para sonhar. Pensávamos ter os poderes dos super-heróis, e que alcançaríamos as nuvens. Sonhávamos que um dia poderíamos fazer todo mundo feliz. Eram muitos sonhos.
Mas as crianças crescem e se tornam adultas. E, quase sempre esquecem dos seus sonhos quando passam a ter contato com a realidade. Talvez encontrem muitos adultos desencantados que as façam acreditar que não podem perseguir e concretizar os seus sonhos.
Se você abandonou os seus sonhos, é tempo de retomá-los. Não diga que é tarde, que você está velho demais, que não consegue mais. Decida-se e parta para a luta! Estude, persevere, conquiste. Utilize a força da sua fé. Acredite e invista no seu potencial.

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

A Preocupação e a Cadeira de Balanço

"A preocupação é como a cadeira de balanço: mantém você ocupado, porém, não o leva a lugar algum."
Conta-se que um doente de um hospital psiquiátrico permanecia com o ouvido encostado na parede.
A enfermeira, um dia, perguntou-lhe: que você está fazendo aí?
Silêncio! Cochichou o doente, acenando para que a enfermeira também encostasse o ouvido na parede.
A enfermeira concordou e permaneceu ali durante uns minutos, prestando atenção:
Não estou ouvindo nada, ela disse.
Eu também não, replicou o doente com a testa franzida. É assim o dia inteiro!...
As pessoas que se preocupam com cada detalhe de sua vida são como este paciente. Umas se preocupam com o que poderia ter sido dito, outras com o que foi dito.
Algumas se preocupam com o que poderia acontecer.
Outras com o que não aconteceu, mas deveria ter acontecido.
Há ainda as que se preocupam com o futuro.
Com quem será que vou me casar?
Até que idade vou viver?
Será que um dia meu marido (ou esposa) me trairá?
Outras se afligem com o que fizeram no passado e com as conseqüências disto.
Deus não nos criou para termos uma vida que é um fardo, Ele quer que tenhamos vida abundante, tanto na mente, como no corpo e no espírito.
Assim como uma flor, fomos criados para florescer, e não para murchar na videira.
Então preocupe-se menos e viva mais cada momento, pois ele é unico e não irá se repetir...

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Etiquetas Trocadas

Uma forte ventania causou, certo dia, um grande alvoroço numa tradicional loja de departamentos.
O gerente havia deixado as janelas abertas e o vento que por elas entrou soprou grande quantidade de etiquetas de preços que estavam prontas e ainda não colocadas, fazendo-as pousar em diversos artigos da loja de forma desordenada.
No dia seguinte, os clientes ficaram surpresos ao encontrar meias a 49,90, ternos a 1,99, sapatos a 0,90 e um cachecol a 1.290,90!
E a loja de departamentos de nossa vida?
como a temos organizado?
A que atribuimos altos valores e quais os artigos não temos valorizado?
As pessoas que nos conhecem, que conosco convivem constantemente, encontram tudo em ordem ou a ventania da incredulidade tem feito trocas?
Temos atribuído preços elevados às coisas materiais, incertas e passageiras ou, valorizamos o espiritual, crendo que ao lado de Deus todas as coisas são acrescentadas?
Quando abrimos nossos corações e deixamos o Senhor nos dirigir, então podemos descansar e confiar que as bênçãos virão na hora e da forma de Deus.
Quando nos apegamos às coisas desse mundo, perdemos o real valor das coisas importantes para nossa felicidade e supervalorizamos aquilo que nenhum valor tem.
Precisamos parar de viver como se as etiquetas de preços estivessem trocadas!

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Abrindo A Porta

"Numa terra em guerra, havia um rei que causava espanto. Cada vez que fazia prisioneiros, não os matava, levava-os a uma sala, que tinha um grupo de arqueiros em um canto e uma imensa porta de ferro do outro, a qual haviam gravadas figuras de caveiras.
Nesta sala ele os fazia ficar em círculo, e então dizia:
- vocês podem escolher morrer flechados por meus arqueiros, ou passarem por aquela porta e por mim lá serem trancados. Todos os que por ali passaram, escolhiam serem mortos pelos arqueiros.
Ao término da guerra, um soldado que por muito tempo servira o rei, disse-lhe:
Senhor, posso lhe fazer uma pergunta?
- Diga, soldado.
- O que havia por trás da assustadora porta?
- Vá e veja.
O soldado então a abre vagarosamente, e percebe que a medida que o faz, raios de sol vão adentrando e clareando o ambiente, ate que totalmente aberta, nota que a porta levava a um caminho que sairia rumo a liberdade.
O soldado admirado apenas olha seu rei que diz:
Eu dava a eles a escolha, mas preferiram morrer a arriscar abrir esta porta...
Quantas portas deixamos de abrir pelo medo de arriscar?
Quantas vezes perdemos a liberdade, apenas por sentirmos medo de abrir a porta de nossos sonhos?"

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Software Para a Vida

Este programa é ótimo para instalarmos. O melhor de tudo é que podemos copiá-lo e distribuí-lo à vontade.
Alo, é do Setor de "Atendimento ao Cliente"....
Atendente: Boa tarde Senhora. Em que lhe posso ser útil ?
Cliente: Comprei o seu programa AMOR, mas até agora não consegui instalar. Eu não sou técnica no assunto, mas acho que posso instalar com a sua ajuda. O que eu devo fazer primeiro?
Atendente: O primeiro passo é abrir o seu CORAÇÃO. A senhora encontrou seu CORAÇÃO?
Cliente: Sim, encontrei. Mas há diversos programas funcionando agora. Tem algum problema em instalar o AMOR enquanto outros programas estão funcionando?
Atendente: Que programas estão funcionando, senhora?
Cliente: Deixe-me ver... Eu tenho BAIXAESTIMA.EXE, RESSENTIMENTO.COM, ODIO.EXE e RANCOR.EXE funcionando agora.
Atendente: Nenhum problema. O AMOR apagará automaticamente RANCOR.EXE de seu sistema operacional atual. Pode ficar em sua memória permanente, mas não vai causar problemas por muito tempo para outros programas. O AMOR vai reescrever BAIXAESTIMA.EXE em uma versão melhor, chamada AUTOESTIMA.EXE. Entretanto, a senhora tem que desligar completamente o ODIO.EXE e RESSENTIMENTO.COM. Esses programas impedem que o AMOR seja instalado corretamente. A senhora pode desligá-los?
Cliente: Eu não sei como desligá-los. Você pode me dizer como?
Atendente: Com prazer! Vá ao Menu e clique em PERDAO.EXE. Faça isso quantas vezes forem necessárias, até o ODIO.EXE e RESSENTIMENTO.COM serem apagados completamente.
Cliente: Ok! Terminei! O AMOR começou a instalar-se automaticamente. Isso é normal?
Atendente: Sim, é normal. A senhora devera receber uma mensagem dizendo que reinstalará a vida de seu coração. A senhora tem essa mensagem?
Cliente: Sim, eu tenho. Está completamente instalado?
Atendente: Sim. Mas lembre-se: a senhora só tem o programa de modelo básico. A senhora precisa começar a se conectar com outros CORAÇÕES a fim de obter melhoramentos.
Cliente: Oh! Meu Deus! Eu já tenho uma mensagem de erro. Que devo fazer?
Atendente: O que diz a mensagem?
Cliente: Diz: "ERRO 412 - O PROGRAMA NÃO FUNCIONA EM COMPONENTES INTERNOS". O que isso significa?
Atendente: Não se preocupe, senhora. Este é um problema comum. Significa que o programa do AMOR está ajustado para funcionar em CORAÇÕES externos, mas ainda não está funcionando em seu CORAÇÃO. É uma daquelas complicadas coisas de programação, mas em termos não-técnicos, significa que a senhora tem que "AMAR" sua própria máquina antes que possa amar outra.
Cliente: Então, o que devo fazer?
Atendente: A senhora pode achar o diretório chamado "AUTO-ACEITACAO"?
Cliente: Sim, encontrei.
Atendente: Excelente! A senhora está ficando ótima nisso!
Cliente: Obrigada!
Atendente: De nada. Faça o seguinte: clique nos arquivos BONDADE.DOC, AUTOESTIMA.TXT, VALORIZE-SE.TXT, PERDAO.DOC e copie-os para o diretório "MEU CORAÇÃO". O sistema irá reescrever todos os arquivos em conflito e começará a consertar a programação defeituosa. Também a senhora precisa apagar AUTOCRITICA.EXE de todos os diretórios e depois esvazie a sua lixeira para certificar-se de que nunca voltem.
Cliente: Consegui! Meu CORACAO está cheio de arquivos realmente puros! Eu tenho no meu monitor, agora, o SORRISO.MPG e está mostrando que PAZ.EXE, CONTENTAMENTO.COM e BONDADE.COM foram instalados automaticamente no meu CORACAO.
Atendente: Então, terminamos! O AMOR está instalado e funcionando, Ah! Mais uma coisa antes de eu ir.
Cliente: Sim?
Representante: O AMOR é um programa grátis. Faça o possível para distribuir uma cópia de seus vários modelos a quem a senhora encontrar e, dessa forma, a senhora receberá de volta dessas pessoas novos modelos verdadeiramente puros.
Cliente: Obrigada pela sua ajuda!

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

terça-feira, 6 de setembro de 2011

A Arte De Não Se Irritar

Em uma cidade interiorana havia um homem que não se irritava e não discutia com ninguém.
Sempre encontrava saída cordial, não feria a ninguém, nem se aborrecia com as pessoas.
Morava em modesta pensão, onde era admirado e querido.
Para testá-lo, um dia seus companheiros combinaram levá-lo à irritação e à discussão numa determinada noite em que o levariam a um jantar.
Trataram todos os detalhes com a garçonete que seria a responsável por atender a mesa reservada para a ocasião. Assim que iniciou o jantar, como entrada foi servida uma saborosa sopa, que o homem gostava muito.
A garçonete chegou próxima a ele, pela esquerda, e ele, prontamente, levou seu prato para aquele lado, a fim de facilitar a tarefa.
Mas ela serviu todos os demais e, quando chegou a vez dele, foi embora para outra mesa.
Ele esperou calmamente e em silêncio, que ela voltasse. Quando ela se aproximou outra vez, agora pela direita, para recolher o prato, ele levou outra vez seu prato na direção da jovem, que novamente se distanciou, ignorando-o.
Após servir todos os demais, passou rente a ele, acintosamente, com a sopeira fumegante, exalando saboroso aroma, como quem havia concluído a tarefa e retornou à cozinha.
Naquele momento não se ouvia qualquer ruído. Todos observavam discretamente, para ver sua reação.
Educadamente ele chamou a garçonete, que se voltou, fingindo impaciência e lhe disse: o que o senhor deseja?
Ao que ele respondeu, naturalmente: a senhora não me serviu a sopa.
Novamente ela retrucou, para provocá-lo, desmentindo-o: servi, sim senhor!
Ele olhou para ela, olhou para o prato vazio e limpo e ficou pensativo por alguns segundos…
Todos pensaram que ele ia brigar… Suspense e silêncio total.
Mas o homem surpreendeu a todos, ponderando tranqüilamente: a senhorita serviu sim, mas eu aceito um pouco mais!
Os amigos, frustrados por não conseguir fazê-lo discutir e se irritar com a moça, terminaram o jantar, convencidos de que nada mais faria com que aquele homem perdesse a compostura...
Bom seria se todas as pessoas agissem sempre com discernimento em vez de reagir com irritação e impensadamente.
Ao protagonista da nossa singela história, não importava quem estava com a razão, e sim evitar as discussões desgastantes e improdutivas.
Quem age assim sai ganhando sempre, pois não se desgasta com emoções que podem provocar sérios problemas de saúde ou acabar em desgraça.
Muitas brigas surgem motivadas por pouca coisa, por coisas tão sem sentido, mas que se avolumam e se inflamam com o calor da discussão.
Isso porque algumas pessoas têm a tola pretensão de não levar desaforo para casa, mas acabam levando para a prisão, para o hospital ou para o cemitério.
Por isso a importância de aprender a arte de não se irritar, de deixar por menos ou encontrar uma saída inteligente como fez o homem no restaurante.
Pense nisso!

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Olhar Para Cima

CERTA VEZ UM JOVEM MARINHEIRO TEVE QUE SUBIR AO MASTRO DURANTE UMA TEMPESTADE.
AS ONDAS LEVANTAVAM O BARCO PARA ALTURAS ESTONTEANTES E LOGO EM SEGUIDA
JOGAVAM-NO PARA PROFUNDEZAS ABISMAIS.
O JOVEM MARUJO COMEÇOU A SENTIR VERTIGEM E ESTAVA QUASE CAINDO, QUANDO O CAPITÃO GRITOU:
"MARUJO, OLHE PARA CIMA".
DE MANEIRA DECIDIDA, O MARINHEIRO DESVIOU O SEU OLHAR DAS ONDAS AMEAÇADORAS
E OLHOU PARA CIMA.
ELE CONSEGUIU SUBIR COM SEGURANÇA E EXECUTAR A SUA TAREFA...
QUANDO OS DIAS DE TRIBULAÇÃO REVOLVEM A NOSSA VIDA, QUANDO AS TEMPESTADES DA VIDA
NOS CONFUNDEM, PERDEMOS O EQUILIBRIO E SOMOS AMEAÇADOS DE DESPENCAR. OLHE PARA CIMA.
SE DESVIAR-MOS NOSSO OLHAR DOS PERIGOS E OLHARMOS PARA CIMA, SE BUSCARMOS A FACE DO SENHOR EM ORAÇÃO E AGARRAMOS A SUA PODEROSA MÃO, NOSSO CORAÇÂO SE AQUIETARÁ, RECEBEREMOS FORÇA E PAZ PARA PODERMOS EXECUTAR AS NOSSAS TAREFAS EM MEIO AS TEMPESTADES E FINALMENTE SEREMOS VITORIOSOS.

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

O Milagre De Um Novo Dia

Hoje eu me levantei cedo pensando no que tenho para fazer antes que o relógio marque meia noite.
Eu tenho responsabilidades para cumprir hoje.
Eu sou importante.
É minha função escolher que tipo de dia terei hoje.
Hoje eu posso reclamar porque está chovendo ou posso agradecer às águas por lavarem energias pesadas.
Hoje eu posso ficar triste por não ter muito dinheiro ou posso me sentir encorajado para administrar minhas finanças sabiamente, mantendo-me longe de desperdícios.
Hoje eu posso reclamar sobre minha saúde ou posso dar graças a Deus por estar vivo.
Hoje eu posso me queixar dos meus pais por não terem me dado tudo que eu queria quando estava crescendo, ou posso ser grato a eles por terem permitido que eu nascesse.
Hoje eu posso lamentar decepções com amigos ou posso observar oportunidades de ter novas amizades.
Hoje eu posso reclamar por ter que trabalhar ou posso vibrar de alegria por ter um trabalho que me põe ativo.
Hoje eu posso choramingar por ter que ir à escola ou abrir minha mente com entusiasmo para novos conhecimentos.
Hoje eu posso sentir tédio com trabalho doméstico ou posso agradecer a Deus por ter dado-me a bênção de um teto que abriga meus pertences, meu corpo e minha alma.
Hoje eu posso olhar para o dia de ontem e lamentar as coisas que não saíram como eu planejei ou posso alegrar-me por ter o dia de hoje para recomeçar.
O dia de hoje está à minha frente esperando para ser o que eu quiser.
E aqui estou eu, o escultor que pode dar-lhe forma.
Depende de mim como será o dia de hoje diante de tudo que encontrarei.
A escolha está em minhas mãos:
Hoje eu posso enxergar minha vida vazia ou posso alegremente receber o Milagre de Um Novo Dia !

Silvia Schmidt

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

A Borboleta Azul

Havia um viúvo que morava com suas duas filhas curiosas e inteligentes.
As meninas sempre faziam muitas perguntas.
Algumas ele sabia responder, outras não.
Como pretendia oferecer a elas a melhor educação, mandou as meninas passarem férias com um sábio que morava no alto de uma colina.
O sábio sempre respondia todas as perguntas sem hesitar.
Impacientes com o sábio, as meninas resolveram inventar uma pergunta que ele não saberia responder.
Então, uma delas apareceu com uma borboleta azul que usaria pra pegar uma peça no sábio.
- O que você vai fazer?
- perguntou a irmã
- Vou esconder a borboleta em minhas mãos e perguntar se ela está viva ou morta.
Se ele disser que está morta, vou abrir minhas mãos e deixá-la voar.
Se ele disser que ela está viva, vou apertá-la e esmagá-la.
E assim qualquer resposta que o sábio nos der está errada!
As duas meninas foram, então, ao encontro do sábio, que estava meditando.
- Tenho aqui uma borboleta azul.
Diga-me sábio, ela está viva ou morta?
Calmamente o sábio sorriu e respondeu:
- Depende de você. Ela está em suas mãos...
Assim é a nossa vida, o nosso presente e o nosso futuro.
Não devemos culpar ninguém quando algo dá errado.
Somos nós os responsáveis por aquilo que conquistamos (ou não).
Nossa vida está em nossas mãos, assim como a borboleta azul.
Cabe a nós escolher o que fazer com ela.

Autor desconhecido
Colaboração: Carlos E. Della Justina