Paginas

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

O Sentido Da Vida

Ponha a mão no peito e sinta as batidas do seu coração.
Esse é o relógio da sua vida tiquitaqueando a contagem regressiva do tempo que lhe resta. Um dia ele parará.
Isso é cem por cento garantido e não há nada que você possa fazer a respeito.
Portanto, não dá para perder um único precioso segundo.
Vá atrás do seu sonho com energia e paixão, ou então recue e veja-o escorrer pelo ralo.
Se você passar o tempo todo em cima do muro, acabará não indo a lugar algum no pouco tempo que lhe resta (Sem falar, claro, no perigo das farpas em lugares inconvenientes.) Como dizem. "não se salta uma fenda em dois pulinhos".
É preciso coragem e dedicação para viver o seus sonhos. (Claro, também é preciso lembrar onde acaba a coragem e começa a estupidez.)
A verdade é que todos nascemos com potencial para a grandeza, abençoados com oportunidade para alcançar novas e estonteantes alturas.
Mas, tristemente, muitos de nós são preguiçosos demais, preocupados demais com o que os outros possam pensar, com medo demais de mudanças, para abrir suas asas e usar todos os seus talentos.
É importantíssimo fazer o que deixa feliz - e da melhor maneira possível.
Não importa que seja fazer bolas de neve, prender a respiração debaixo d'água, cantar, ou conseguir efeitos dramáticos com um secador de cabelos.
Só o que interessa é que você se sinta bem com o que está fazendo.. Tenha sempre em mente que, faça o que você fizer, os enganos são parte da vida e não perca tempo se castigando por erros do passado.
Não fique ruminando se está ou não fazendo a coisa certa.
Você sempre saberá a resposta no seu coração.
Em vez de desanimar-se, lembre-se sempre de que rejeição e resistência são inevitáveis quando se faz algo muito importante ou especial.
Quando você se propõe a realizar seus sonhos, muitos tentarão detê-lo (incluindo os que mais amam você).
Quem que não falta neste mundo, são pessimista lamentáveis, que desistem dos seus sonhos, para lhe dizer: "Não perca seu tempo, você nunca conseguirá.
" Você pode muito bem se ver cercado por pessoas que, secretamente, querem ver você fazer menos, ou fracassar por completo, para não se sentir diminuídas.
"Esqueça isso", dirão. "Não vale a pena."
Por isso é importante compreender que seguir o seu próprio caminho pode ser incrivelmente recompensador, mas não é fácil não.
Como todo mundo você terá alguns dias melhores que outros. De vez em quando, tudo parecerá uma grande zona de perigo.
As pessoas olharão para você com estranheza quando souberem o que você está tentando atingir, e você começará a ouvir seus detratores e a ter dúvidas.
"Porque não continuei vendendo bananas, meu Deus?" mas, aconteça o que acontecer, não desista!
Lembre-se de que todos têm dificuldades.
É incrivelmente cansativo passar dias fazendo coisas que não nos agradam ou sequer nos interessam.
Mas, se você perseguir o seu sonho, pelo menos se cansará fazendo o que mais gosta.
Você pode achar que nada disto significa muito no grande esquema global das coisas. Mas, acredite: significa.
Quando você tirar tudo que puder da sua vida, saboreando cada gota, isto mudará tudo à sua volta, de ordinário para extraordinário.
Quando estiver fazendo o que ama, terá animação para enfrentar o começo de cada dia
e estará tomado de uma alegria sincera, altamente contagiante. Do mesmo modo que, ao dar uma boa risada, faz outro começar a rir, e outro, até que estão todos rindo tanto que começam a lacrimejar, ter dor de estômago e dificuldades em respirar.
Mas, melhor do que tudo, você inspira outros a irem atrás dos seus sonhos, e é assim, que se transforma o mundo!
Sabe de uma coisa?
Mesmo que você cometa enganos e esteja errado sobre quase tudo, ainda assim sua vida será uma aventura fantástica e divertida; você dormirá cada noite sabendo que fez o que podia e isso fez diferença, e acordar a cada dia antecipando o futuro tão belo e excitante quanto puder imaginar.
E sabe de outra coisa?
Se você ouvir seu coração e usar a cabeça, nunca estará errado.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Saudade

Trancar o dedo numa porta dói.
Bater com o queixo no chão dói. Torcer o tornozelo dói.
Um tapa, um soco, um pontapé, doem. Dói bater a cabeça na quina da mesa, dói morder a língua, dói cólica, cárie e pedra no rim.
Mas o que mais dói é a saudade.
Saudade de um irmão que mora longe. Saudade de uma cachoeira da infância.
Saudade de um filho que estuda fora. Saudade do gosto de uma fruta que não se encontra mais.
Saudade do pai que morreu, do amigo imaginário que nunca existiu. Saudade de uma cidade.
Saudade da gente mesmo, que o tempo não perdoa. Doem essas saudades todas.
Mas a saudade mais dolorida é a saudade de quem se ama.
Saudade da pele, do cheiro, dos beijos. Saudade da presença, e até da ausência consentida.
Você podia ficar na sala e ela no quarto, sem se verem, mas sabiam-se lá. Você podia ir para o dentista e ela para a faculdade, mas sabiam-se onde.
Você podia ficar o dia sem vê-la, ela o dia sem vê-lo, mas sabiam-se amanhã.
Contudo, quando o amor de um acaba, ou torna-se menor, ao outro sobra uma saudade que ninguém sabe como deter.
Saudade é basicamente não saber. Não saber mais se ela continua fungando num ambiente mais frio. Não saber se ele continua sem fazer a barba por causa daquela alergia. Não saber se ela ainda usa aquela saia. Não saber se ele foi na consulta com o dermatologista como prometeu.
Não saber se ela tem comido bem por causa daquela mania de estar sempre ocupada; se ele tem assistido às aulas de inglês, se aprendeu a entrar na Internet e encontrar a página do Diário Oficial; se ela aprendeu a estacionar entre dois carros; se ele continua preferindo Malzbier; se ela continua preferindo Margarita;
se ela continua sorrindo com aqueles olhinhos apertados;
se ela continua dançando daquele jeitinho enlouquecedor; se ela continua cantando tão bem; se ela continua detestando o Mc Donald's; Se ele continua amando; Se ela continua a chorar até nas comédias. Saudade é não saber mesmo!
Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos; Não saber como encontrar tarefas que lhe cessem o pensamento;
Não saber como frear as lágrimas diante de uma música;
Não saber como vencer a dor de um silêncio que nada preenche.
Saudade é não querer saber se ela está com outro, e ao mesmo tempo querer.
É não saber se ele está feliz, e ao mesmo tempo perguntar a todos os amigos por isso...
É não querer saber se ele está mais magro, se ela está mais bela.
Saudade é nunca mais saber de quem se ama, e ainda assim doer; Saudade é isso que senti enquanto estive escrevendo e o que você, provavelmente, está sentindo agora depois que acabou de ler...

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Hoje Me Dei Conta

Hoje me dei conta de que as pessoas vivem a esperar por algo E quando surge uma oportunidade Se dizem confusas e despreparadas Sentem que não merecem Que o tempo certo ainda não chegou E a vida passa E os momentos se acumulam como papéis sobre uma mesa Estamos nos preparando para qualquer coisa Mas ainda não aprendemos a viver A arriscar por aquilo que queremos A sentir aquilo que sonhamos E assim adiamos nossas vidas por tempo indeterminado Até que a vida se encarregue de decidir por nós mesmos E percebemos o quanto perdemos E o tanto que poderíamos ter evitado Como somos tolos em nossos pensamentos limitados Em nossas emoções contidas Em nossas ações determinadas O ser humano se prende em si mesmo Por medo e desconfiança Vive como coisa Num mundo de coisas O tempo esperado é o agora Sua consciência lhe direciona Seus sentidos lhe alertam E suas emoções não mais são desprezadas Antes que tudo acabe É preciso fazer iniciar Mesmo com dor e sofrimento Antes arriscar do que apenas sonhar…
"Se algum dia eu soubesse que nunca mais veria você...
Eu lhe daria um abraço mais forte.
Se eu soubesse que seria a última vez a ouvir a sua voz ...
Eu gravaria cada movimento e cada palavra, para revê-los depois todos os dias.
Se eu soubesse que hoje seria o último dia a compartilhar com você...
O sentiria muito mais intensamente em vez de deixá-lo simplesmente passar.
Sempre acreditamos que haverá o amanhã para corrigir um descuido... Para ter uma segunda chance de acertar.
Será que haverá uma chance para dizer: "posso fazer alguma coisa por você"?
O amanhã não é garantido para ninguém, seja para jovens, ou mais velhos, e hoje pode ser a última chance de abraçarmos aqueles que amamos.
Então, se estamos esperando pelo amanhã, por que não agirmos hoje?
Assim, se o amanhã nunca chegar, não teremos arrependimentos de não termos aproveitado um momento para um sorriso, para um abraço, para um beijo por uma gentileza, porque estávamos muito ocupados, para dar a alguém o que poderia ser o seu último desejo.
Abracemos hoje aqueles que amamos, dizendo-lhes o quanto nos são raros e que sempre os amamos.
Encontremos tempo para dizer: "Desculpe-me", "Perdoe- me", "Obrigado", "Eu perdôo você".
Sempre há tempo para amarmos.
E se não houver amanhã, também não haverá remorsos de hoje para carregarmos." Pense nisso AGORA...

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

O Lenhador Honesto

Há muito tempo, numa floresta verdejante e silenciosa, próximo a um riacho de águas cristalinas e espumantes corredeiras, vivia um pobre lenhador que trabalhava muito para sustentar a família.
Todos os dias, empreendia a árdua caminhada floresta adentro, levando ao ombro seu afiado machado. Partia sempre assobiando contente, pois sabia que enquanto tivesse saúde e o machado, conseguiria ganhar o suficiente para comprar todo o pão que a família precisava.
Um dia, estava ele cortando um enorme carvalho perto do rio. As lascas voavam longe e o barulho do machado ecoava na floresta com tanta força que parecia haver uma dúzia de lenhadores trabalhando.
Passado algum tempo, resolveu descansar um pouco, recostou o machado na árvore e virou-se para sentar, mas tropeçou numa raiz velha e retorcida, e antes que pudesse pegá-lo, o machado caiu pela ribanceira abaixo, indo parar no rio! O pobre lenhador esquadrinhou as águas tentando encontrar o machado, mas aquele trecho era fundo demais.
O rio continuava correndo com a mesma tranqüilidade de sempre , ocultando o tesouro perdido.
"- O que hei de fazer? Perdi o machado! Como vou dar de comer aos meus filhos? - gritou o lenhador."
Mal acabara de falar, surgiu de dentro do riacho um anjo...
"- Por que você está sofrendo tanto?" - perguntou, em tom amável.
O lenhador contou o que acontecera e ele mergulhou em seguida, tornando a aparecer na superfície segundos depois com um machado de prata.
"- É este o machado que você perdeu?"
O lenhador pensou em todas as coisas lindas que poderia comprar para os filhos com toda aquele prata! Mas o machado não era dele, então balançou a cabeça dizendo:
"- Meu machado não era tão belo."
O anjo colocou o machado de prata sobre a barranco do rio e tornou a mergulhar. Voltou logo e mostrou outro machado ao lenhador:
"- Talvez este machado seja o seu?"
"- Não é, não! Esse é de ouro! Vale muito mais do que o meu."
O anjo colocou novamente o machado de ouro sobre a barranca do rio, mergulhou mais uma vez e trouxe o machado perdido.
"- Esse é o meu! É o meu, sim; sem dúvida!"
"- É o seu ."- disse o anjo, "... e agora também são seus os outros dois. São um presente, pela sua honestidade."
À noitinha, o lenhador empreendeu a árdua caminhada de volta para casa com os três machados às costas, assobiando contente e pensando em todas as coisas boas que eles iriam trazer para sua família.
A honestidade traz mais coisas do que podemos imaginar! "Quem ama não cansa...
E se cansar, ama o cansaço!"
(extraído do Livro das Virtudes para Crianças - autor desconhecido)

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Elos Da Vida

Pessoas são como elos...
Elos que se entrelaçam pela força do destino, Elos que se definem pelo livre arbítrio...
Pessoas formam histórias.
Histórias de vida, com rumos pré destinados...
Histórias de vida, de livre escolha dos próprios atos.
O nosso eu acaba sendo formado de pessoas....
Pessoas que amamos, pessoas que odiamos, pessoas especiais ou insignificantes...
A nossa história é formada de pessoas...
Muitas delas ficam apenas um pouquinho conosco...
Outras, uma eternidade de tempo físico...
Outras ainda uma eternidade de tempo espiritual.
Essas permanecem conosco mesmo depois que o elo físico se rompe...
São personagens de relações eternas de amor!
O rompimento doloroso só consegue provocar o afastamento da matéria; do espírito jamais...
São essas pessoas que fundamentam o nosso alicerce de vida.
Elas vão e ficam ao mesmo tempo. São pessoas que jamais nos deixam sós, pelo simples fato de morarem dentro de nossos corações...
Elas são elos inquebráveis, que nos tornam capazes de sermos também elos em outras vidas...
Elos de amizade...
Elos de amor...
Assim é a corrente da vida, onde as pessoas formam sempre elos...
Sinto que vivemos uma nova era de relacionamento, feita também de elos...
Elos virtuais...mas tão reais...
Elos que nos marcam profundamente!!!
(Desconheço o Autor)

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Onde Encontrar A Felicidade

Um dia os "Deuses do Mundo" se reuniram e decidiram criar um homem e uma mulher. Planejaram criá-los à sua imagem e semelhança. Então, um deles disse:
- Esperem! Se vamos criá-los à nossa semelhança, irão ter um corpo igual ao nosso, força e inteligência igual à nossa.
Devemos pensar em algo que os diferencie de nós, senão estaríamos criando novos deuses.
Devemos tirar-lhes algo, mas o que poderíamos tirar?
Depois de muito pensarem, chegaram a conclusão que deveriam tirar-lhes a FELICIDADE, mas o problema era onde escondê-la para que nunca mais a encontrasse.
Então os deuses começaram a discutir...
Vamos escondê-la na montanha mais alta da Terra. Não te recordas que demos força a eles? Alguém conseguirá subir até o topo da montanha e saberão onde ela está.
Então vamos escondê-la no fundo do mar? Também não seria um bom lugar, pois lhe demos inteligência e alguém certamente vai criar uma maquina que os fará submergir e encontrá-la. Quem sabe, possamos escondê-la em um planeta bem distante!
Também não seria eficaz,pois lhe demos a curiosidade e a ambição portanto, irão querer ultrapassar limites e logo criarão algo para voar pelo espaço e logo a encontrarão.
Depois de muito discutirem e não chegarem a nenhuma conclusão, o único Deus que não havia falado, pediu a palavra e disse:
Claro que sei onde poderemos colocar a Felicidade, em um lugar onde eles nunca descobrirão!
Todos ficaram espantados e lhe perguntaram... Então nos diga, aonde? E ele respondeu:
Colocaremos a Felicidade dentro deles, pois estarão tão preocupados buscando-a fora, que nunca a descobrirão.
Todos ficaram de acordo e desde então tem sido assim..
O HOMEM PASSA A VIDA TODA BUSCANDO A FELICIDADE SEM SABER QUE A TRAZ DENTRO DE SI.

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Vida

Vida, não é manter um placar. Não é quantos amigos você tem,
ou o quanto você é aceito. Não é sobre se você tem planos para
este final de semana ou se você está sozinho.
Não é sobre quem você está namorando, quem você já namorou, ou quantas pessoas você já teve, ou se você nunca teve ninguém.
Não é sobre quem é sua família ou quanto dinheiro ela tem. Ou que tipo de carro você dirige. Ou quando você foi mandado à escola. Não é sobre o quanto você é bonito ou feio.
Ou que roupas você usa, ou que sapatos você calça, ou que tipo de música você ouve. Não é sobre se seus cabelos são loiros,
vermelhos, pretos ou castanhos.
Ou se sua pele é muito clara ou muito escura. Não é sobre que graduação você tem, quanto esperto você é, quanto esperto os outros pensam que você é, ou quanto inteligente os testes dizem que você é. Não é sobre que clubes você frequenta ou o quanto você é bom no seu esporte. Não é sobre representar o seu ser inteiro em um pedaço de papel e ficar vendo quem irá
aceitar o seu "eu" que está escrito.
A vida não é isso !
Mas a vida é sobre quem você ama, e quem você machuca.
É sobre quem você faz feliz ou infeliz propositalmente.
É sobre manter ou trair a verdade.
É sobre amizade, usada como algo sagrado ou como uma arma.
É sobre o que você diz e pensa, às vezes contundente, às vezes encorajador.
É sobre iniciar rumores e contribuir para fofocas mesquinhas.
É sobre que julgamentos você já passou e porque.
E como seus julgamentos foram espalhados ou difundidos.
É sobre quem você tem ignorado com total controle e intenção.
É sobre ciúme, medo, ignorância e vingança.
É sobre carregar internamente o amor e o ódio, deixando-os crescer e espalhando-os.
Mas, mais do que tudo, é sobre como usar a sua vida para tocar ou envenenar os corações das outras pessoas, de uma forma que
nunca teria acontecido sozinha.
Só você escolhe a forma que estes corações serão afetados, e estas escolhas são o significado da vida.
A vida é isso!

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Segurando Um Ao Outro

A dedicada enfermeira, sobrecarregada com tantos pacientes a atender, viu um jovem entrar no quarto e, inclinando-se sobre o paciente idoso em estado grave, disse-lhe em voz alta:
seu filho está aqui.
Com grande esforço, o velho moribundo abriu os olhos e, a seguir, fechou-os outra vez.
O jovem apertou a mão envelhecida do enfermo e sentou-se ao lado da cama.
Por toda a noite, ficou sentado ali, segurando a mão e sussurrando palavras de conforto ao velho homem.
Ao amanhecer, o manto escuro da morte caiu sobre o corpo cansado do enfermo.
Ele partiu com uma expressão de paz no rosto sulcado pelo tempo.
Em instantes, a equipe de funcionários do hospital encheu o quarto para desligar as máquinas e remover as agulhas.
A enfermeira aproximou-se do jovem e começou a lhe dizer palavras de conforto, mas ele a interrompeu com uma pergunta:
quem era esse homem?
Assustada, a enfermeira respondeu:
eu achei que fosse seu pai!
Não. Não era meu pai, falou o jovem.
Eu nunca o havia visto antes.
Então, porque você não falou nada quando o anunciei para ele?
Eu percebi que ele precisava do filho e o filho não estava aqui.
E como ele estava por demais doente para reconhecer que eu não era seu filho, resolvi segurar a sua mão para que se sentisse amparado.
Senti que ele precisava de mim.
* * *
Nesses dias em que as pessoas caminham apressadas, sempre com muitos problemas esperando solução, não têm tempo sequer para ouvir o desabafo de um coração aflito, um jovem teve olhos de ver e ouvidos de ouvir o apelo mudo de um pai no leito de dor.
É tão triste viver na solidão...
É tão triste não ter com quem contar num leito de morte...
Se você tem um familiar enfermo, aproxime-se dele e segure firme a sua mão.
Ofereça-se para lhe fazer companhia, ainda que por alguns minutos.
Fique em silêncio ao seu lado para ouvir o que os ouvidos do corpo não conseguem captar.
Seja uma presença amiga, sincera, que proporcione segurança.
E se você não tem um familiar enfermo, agradeça a Deus por isso e faça uma visita a alguém que precisa de apoio.
Há tantos enfermos solitários precisando de um gesto qualquer de afeto para sentir que viver ainda vale a pena.
Pense nisso e procure ser a companhia de alguém que precisa de você neste exato momento.
* * *
Madre Teresa de Calcutá costumava dizer que ninguém tem que morrer sozinho.
Do mesmo modo, ninguém deve se afligir sozinho ou chorar sozinho; rir sozinho ou celebrar sozinho.
Nós fomos feitos para viajar de mãos dadas através da jornada da vida.
Há alguém pronto para segurar a sua mão hoje.
E há alguém esperando que você segure a dele.
(Desconheço o Autor)

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

A Honra Também Se Ensina

É comum, em nossos dias, ouvirmos reclamações por parte de pessoas que se sentiram desrespeitadas em seus direitos.
É o médico que marca uma hora com o paciente e o deixa esperando por longo tempo, sem dar satisfação.
É o advogado que assume uma causa e depois não lhe dá o encaminhamento necessário, deixando o cliente em situação difícil.
É o contador que se compromete perante a empresa em providenciar todos os documentos exigidos por lei e, passados alguns meses, a empresa é autuada por irregularidades que este diz desconhecer.
É o engenheiro que toma a responsabilidade de uma obra, que mais tarde começa a ruir, sem que este assuma a parte que lhe diz respeito.
É o político que promete mundos e fundos e, depois de eleito, ignora a palavra empenhada juntos aos seus eleitores.
Esses e outros tantos casos acontecem com freqüência nos dias atuais.
É natural que as pessoas envolvidas em tais situações, exponham a sua indignação junto à sociedade, e reclamem os seus direitos perante a justiça.
Todavia, vale a pena refletirmos um pouco sobre a origem dessa falta de honradez por parte de alguns cidadãos.
Temos de convir que todos eles passaram pela infância e, em tese, podemos dizer que não receberam as primeiras lições de honra como deveriam.
Quando os filhos são pequenos, não damos a devida atenção às suas más inclinações ou, o que é pior, as incentivamos com o próprio exemplo.
Se nosso filho desrespeita os horários estabelecidos, não costumamos cobrar dele uma mudança de comportamento.
Se prometem alguma coisa e não cumprem, não lhes falamos sobre a importância da palavra de honra.
Assim, a palavra empenhada não é cumprida, e nós não fazemos nada para que seja.
Ademais, há pais que são os próprios exemplos de desonra. Prometem e não cumprem. Dizem que vão fazer e não fazem. Falam, mas a sua palavra não tem o peso que deveria.
É importante que pensemos a respeito das causas antes de reclamar dos efeitos.
É imprescindível que passemos aos filhos lições de honradez.
Ensinar aos meninos que as irmãs dos outros devem ser respeitadas tanto quando suas próprias irmãs.
Que a palavra sempre deve ser honrada por aquele que a empenha.
Ensinar o respeito aos semelhantes, não os fazendo esperar horas e horas para só depois atender como que estivéssemos fazendo um grande favor.
Enfim, ensinar-lhes a fazer aos outros o que gostariam que os outros lhes fizessem, conforme orientou Jesus.
Pense nisso!
Não há efeito sem causa. Todo efeito negativo, tem uma causa igualmente negativa.
Por essa razão, antes de reclamar dos efeitos, devemos pensar se não estamos contribuindo com as causas, direta ou indiretamente.
Pensemos nisso!