Paginas

sexta-feira, 29 de agosto de 2008

Quatro Meses

Outro dia foi o aniversário da partida de uma senhora por muitos conhecida e muito querida.
Algum tempo antes, chegando de uma das dezenas de consultas médicas que já fizera, ela disse aos familiares:
- Pedi franqueza à junta médica que me examinou, pedi-lhes que não me poupassem de saber a verdade sobre meu estado de saúde.
Eu sinto que me resta pouco tempo. Diante dos olhares ansiosos, ela continuou:
- Eles me revelaram que sou portadora de uma moléstia incurável e que minha previsão de vida é de aproximadamente 4 meses. Perguntou uma das filhas, em prantos.
- E a senhora nos conta isso com essa naturalidade ?
Continuou a senhora, com muita serenidade:
- Ora, eu tenho um bom tempo para fazer tudo que já devia ter feito há muito.
Arrumarei todos os meus armários, guardarei o que realmente uso e o resto jogarei fora ou doarei a quem precisa.
Colocarei belas cortinas em todas as janelas e elas me impedirão de ficar olhando a vida alheia.
Evitarei ouvir e assistir más notícias e alimentarei o meu espírito com leituras saudáveis, conversas amigáveis, dispensarei fofocas e não criticarei a mais ninguém.
Todos os dias tirarei o pó da casa e, durante esse trabalho, pensarei:
Estou me livrando das sujeiras que guardei do passado pensarei naqueles que já me magoaram e, com sinceridade, os perdoarei.
Todas as noites agradecerei a Deus por tudo que estarei conseguindo fazer nestes últimos 4 meses que me restam.
Todas as manhãs, ao acordar, perguntarei a mim mesma: O que posso fazer para tornar o dia de hoje um dia melhor?
E farei de tudo para transmitir felicidade àqueles que de mim se aproximarem.
Quatro meses são mais de 120 dias, portanto, quando eu fechar os olhos para nunca mais abri-los, eu terei feito no mínimo 120 boas ações.
E a cada dia que passar farei pelo menos uma boa ação.
Todos que a ouviam, pouco a pouco se retiraram dali, indo cada um para um canto, para chorar sozinho. A mulher ali ficou e nos seus olhos havia um brilho de alegria.
Pensava consigo mesma: " não posso curar meu corpo, mas posso mudar a vida que me resta " Ela tinha uma grande tarefa: Transformar seu mundo interior, tornar-se uma pessoa totalmente diferente do que já fora em apenas 4 meses ela conseguiu cumpri-la plenamente.
O mais curioso dessa história é que, após a notícia dada aos familiares, ela viveu mais 23 anos.
Ela curou a sua própria alma e sua moléstia desapareceu; ela morreu de velhice...
"Somos o que fazemos repetidamente. Por isso o mérito não está na ação e sim no hábito”. (Aristóteles)
"Possuímos em nós mesmos, pelo pensamento e a vontade, um poder de ação que se estende muito além dos limites de nossa esfera corpórea." (Allan Kardec)
"Se você não quer ser esquecido quando morrer, escreva coisas que vale a pena ler ou faça coisas que vale a pena escrever." (Benjamin Franklin)
"Os homens que tentam fazer algo e falham são infinitamente melhores do que aqueles que tentam fazer nada e conseguem." (Martyn Lloyd Jones)
"Se o seu navio não chega, nade até ele." (Jonathan Winters)

quinta-feira, 28 de agosto de 2008

O Cachorro E O Coelho

Eram dois vizinhos.
O primeiro vizinho comprou um coelhinho para os filhos.
Os filhos do outro vizinho pediram um bicho para o pai.
Ele comprou um cão pastor alemão.
Papo de vizinho:
* Mas ele vai comer o meu coelho.
* De jeito nenhum. Imagina. O meu pastor é filhote. Vão crescer juntos, pegar amizade. Entendo de bicho.
E parece que o dono do cachorro tinha razão. Juntos cresceram e amigos ficaram. Era normal ver o coelho no quintal do cachorro e vice-versa.
Eis que o dono do coelho foi passar o final de semana na praia com a família e o coelho ficou sozinho.
Domingo, à tardinha, o dono do cachorro e a família tomavam um lanche, quando entra o pastor alemão na cozinha.
Pasmo, trazia o coelho entre os dentes, todo imundo, arrebentado, sujo de terra e, é claro, morto. Quase mataram o cachorro de tanto agredi-lo.
Dizia o homem:
- O vizinho estava certo, e agora? Só podia dar nisso! Mais algumas horas e os vizinhos iam chegar. E agora?! Todos se olhavam.
O cachorro, coitado, chorando lá fora, lambendo os seus ferimentos.
Já pensaram como vão ficar as crianças?
Não se sabe exatamente quem teve a idéia, mas parecia infalível:
Vamos lavar o coelho, deixá-lo limpinho, depois a gente seca com o secador e o colocamos na sua casinha. E assim fizeram.
Até perfume colocaram no animalzinho. Ficou lindo, parecia vivo, diziam as crianças.
Logo depois ouvem os vizinhos chegarem. Notam os gritos das crianças.
- Descobriram!
Não passaram cinco minutos e o dono do coelho veio bater à porta, assustado. Parecia que tinha visto um fantasma.
- O que foi? Que cara é essa?
- O coelho, o coelho...
- O que tem o coelho?
- Morreu!
- Morreu? Ainda hoje à tarde parecia tão bem.
- Morreu na sexta-feira!
- Na sexta?
- Foi antes de viajarmos, as crianças o enterraram no fundo do quintal e agora reapareceu!...
A história termina aqui. O que aconteceu depois não importa.
Mas o grande personagem desta história é o cachorro. Imagine o coitado, desde sexta-feira procurando em vão pelo seu amigo de infância.
Depois de muito farejar, descobre o corpo morto e enterrado. O que faz ele... Provavelmente com o coração partido, desenterra o amigo e vai mostrar para seus donos, imaginando fazer ressuscitá-lo. E o ser humano continua o mesmo, sempre julgando os outros...
Outra lição que podemos tirar desta história é que o homem tem a tendência de julgar os fatos sem antes verificar o que de fato aconteceu.
Quantas vezes tiramos conclusões erradas das situações e nos achamos donos da verdade? Histórias como esta são para pensarmos bem nas atitudes que tomamos.
Às vezes fazemos os outros sofrerem por nosso injusto julgamento, pense...
"A vida tem quatro sentidos: amar, sofrer, lutar e vencer".
Então: AME muito, SOFRA pouco, LUTE bastante e VENÇA sempre que possível... mas não julgue diante da 1ª. Visão ou do primeiro comentário.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

O CEGO E O PUBLICITÁRIO

Havia um cego sentado numa calçada em Paris, com um boné a seus pés e um pedaço de madeira escrito com giz branco:
"Por favor, ajude-me, sou cego"
Um publicitário, da área de criação; que passava em frente a ele parou e viu umas poucas moedas no boné. Sem pedir licença, pegou o cartaz, virou-o, pegou o giz e escreveu outro anúncio.
Voltou a colocar o pedaço de madeira aos pés do cego e foi embora.
Ao cair da tarde, o publicitário voltou a passar em frente ao cego que pedia esmola.
Seu boné, agora, estava cheio de notas e moedas.
O cego reconheceu as pisadas do publicitário e lhe perguntou se havia sido ele quem reescrevera o cartaz, sobretudo querendo saber o que ele havia escrito. O publicitário respondeu: "Nada que não esteja de acordo com o seu anúncio, mas com outras palavras".
E, sorrindo, continuou o seu caminho. O cego nunca soube o que estava escrito, mas seu novo cartaz dizia:
"Hoje é primavera em Paris, e eu ... não posso vê-la"...
Sempre é bom mudarmos de estratégia, quando não estamos obtendo o resultado que queremos.
A verdade é uma só, se estamos fazendo alguma coisa e está dando errado, insistir no erro é pura perda de TEMPO e de VIDA. A única solução, parar e refletir, confiar em DEUS e mudar. Acredite na sua Felicidade, Lute e Vença. Eu acredito e confio em você!
Enviado Por Gicele
Atitude...
Uma mulher acordou uma manhã, olhou no espelho e percebeu que tinha somente três fios de cabelo na cabeça. Bom, ela disse, acho que vou trançar meus cabelos hoje. Assim ela fez e teve um dia maravilhoso.
No dia seguinte, ela acordou, olhou no espelho e viu que tinha somente dois fios de cabelo na cabeça. Humm, ela disse, acho que vou partir meu cabelo no meio hoje. Assim ela fez e teve um dia magnífico.
No dia seguinte, ela acordou, olhou no espelho e percebeu que tinha apenas um fio de cabelo na cabeça. Bem, ela disse, hoje vou amarrar meu cabelo como um rabo de cavalo. Assim ela fez e teve um dia divertido.
No dia seguinte, ela acordou, olhou no espelho e percebeu que não havia um único fio de cabelo na cabeça. Yeaa! ela exclamou, não tenho que pentear meu cabelo hoje!
ATITUDE É TUDO!
"Seja mais humano e agradável com as pessoas do que parece necessário. Cada uma das pessoas com quem você convive está travando algum tipo de batalha. Viva com simplicidade. Ame generosamente. Cuide intensamente. Fale com gentileza.Deixe o restante com Deus."

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Eu Gostaria De Ser...

Eu gostaria de ser o vento para livremente poder andar sem pedir licença e conhecer os recantos do mundo.
Eu gostaria de ser a terra para poder alimentar as árvores e acima de tudo para ser a casa dos animais e ser o chão pisado pelos pés humanos.
Eu gostaria de ser uma árvore para poder abrigar os passarinhos, escutar suas canções e ser sombra confortante para o andante cansado.
Eu gostaria de ser um pássaro livre, sem estradas e sem barreiras, sem caminhos tortuosos e sem carteira de motorista, totalmente livre para voar e cantar e acima de tudo para ser o anunciador do nascer do dia e do pôr do sol.
Eu gostaria de ser a chuva que cai depois de um dia bem quente, para ser o alívio e o ar puro para ser a vida da natureza que espera sedenta o chegar das nuvens e das primeiras gotas a cair.
Eu gostaria de ser o sol da manhã para acordar a natureza toda envolvida nas trevas e no sono, para ser o colorido de todos os olhos e ser o calor e a proteção de todos os desabrigados.
Eu gostaria de ser enfeite nas noites claras e ser um motivo de poesia aos corações enamorados.
Eu gostaria de ser a música do universo e a vibração de todos os instrumentos musicais para dar aos ouvidos a satisfação de harmonia e oferecer a todos os viventes um concerto de paz e felicidade.
Eu gostaria de ser a soma de todos os olhos humanos para ver a beleza do universo, de ser a soma de todos os ouvidos para ouvir todas as músicas do coração para amar infinitamente.
Mais o que mais gosto de ser, é ser eu mesmo. É ter somente dois olhos, ouvido, boca, braços... e serem meus de verdade. O que mais quero é ter um coração que ame, sofra... mais seja totalmente meu. O que mais quero é sonhar, sonhar que sou frágil, que sou limitado mais que na realidade sou uma criatura com força, com vida, uma criatura que faz do sonho a realidade e dos problemas a coragem de vencer e das tristezas a necessidade de proceguir, pois acima de mim existe alguém que nunca perdeu a esperança na humanidade...
Enviada por: Silvana Kunz

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

E Depois...

O ser humano é o único dotado de razão, por isso é chamado de racional.
Ser racional é raciocinar com sabedoria, é saber discernir, é pensar, utilizando o bom senso e a lógica antes de qualquer atitude. Todavia, boa parte de nós não age com a sabedoria necessária para evitar problemas e dissabores perfeitamente evitáveis.
De uma maneira geral, agimos antes e pensamos depois, tardiamente, quando percebemos que os resultados da nossa ação nos torna infeliz.
Paulo, o Apóstolo, que tinha a lucidez da razão, adverte com sabedoria: "tudo me é lícito, mas nem tudo me convém". Quis dizer com isso que tudo nos é permitido, mas que a razão nos deve orientar de que nem tudo nos convém.
Do ponto de vista físico, quando comemos ou bebemos algo que nos faz mal, não pensamos no depois, mas o depois é fatal. Se nosso organismo é frágil a certos tipos de alimentos, devemos pensar nas consequências antes de ingeri-los, mesmo que a nossa vontade diga o contrário.
Perguntemo-nos: e depois? Como será depois? Lembremos da gaseificação, do mal estar e de outros distúrbios que daí poderão advir.
Se temos vontade de fazer uso de drogas, sejam elas socialmente aceitas ou não, pensemos antes no depois.
Será que suportarei corajosamente as enfermidades decorrentes desses vícios? Ou será um preço muito alto por alguns momentos de satisfação? Quando sentimos vontade de usar o cartão de crédito, pela facilidade que ele oferece, costumamos pensar no depois? Pensar em como vamos pagar a conta?
Quando recebemos o convite muitas vezes de publicidade enganosa para o consumo desenfreado, ponderamos racionalmente sobre a necessidade da aquisição, ou compramos antes para constatar, logo mais, que não necessitamos daquele objecto?
No campo da moral não é diferente.
Quando surgir a vontade de gozar alguns momentos de prazer, pensemos: e depois ? Quais serão as consequências desse ato que desejo realizar? Será que as suportarei corajosamente, sem reclamar de Deus nem jogar a responsabilidade sobre os outros?
A velhice chega… e depois? Será que conseguimos olhar nos olhos dos nossos filhos e netos sem pensar naquilo que fizemos muitas vezes sem questionarmos o depois ?
Desta forma, antes de tomar qualquer atitude, perguntemos a nós mesmos: ... E depois?
Melhor que resistamos por um momento e tenhamos paz interior, do que gozar um minuto e ter o resto da vida para nos arrependermos.

terça-feira, 19 de agosto de 2008

Estressados

Esta é uma homenagem a todos os amigos que assim como eu, de vez em quando ficam estressados...
Às vezes, a pressão é tanta... as horas não passam... as coisas não andam...
Parece que o mundo todo conspira contra você!
Sabe qual é a solução?
Assovie!
Faça de conta que não é com você!
Banque o bobo! E daí? Não dê ouvidos aos que só querem te por para baixo!
Pare de prestar atenção...
Procure fazer algo que te dê prazer!
Quem se importa? Abuse!
Seja ainda mais carinhoso...
Dê mais atenção às coisas que são banais, mas que te divertem...
Ria das inconveniências...
Deixe de lado o medo e... Seja ridículo...
Ninguém deve lutar pela perfeição... mas tem que curtir um monte as pequenas coisas que faz!
A vida só não é mais divertida Porque a gente não deixa... então, deixa...
E o mais Importante: a vida não acaba neste instante, nem começa denovo amanhã, como o desabrochar das flores..
Ela não para... cada minuto estressado, é tempo perdido.
Por isso, te desejo: um pouquinho de Loucura e um pouquinho de Pureza. Para enxergar a vida, muito diferente e melhor do que
às vezes ela realmente é.
E não esqueça: Sorria, na vida tudo é melhor com um pouquinho de alegria!.

segunda-feira, 18 de agosto de 2008

Você Pode

Você pode curtir ser quem você é, do jeito que você for, ou viver infeliz por não ser quem você gostaria.
Você pode olhar com ternura e respeito para si próprio e para as outras pessoas ou com aquele olhar de censura, que poda, pune, fere e mata, sem nenhuma consideração para com os desejos, limites e dificuldades de cada um, inclusive os seus.
Você pode amar e deixar-se amar de maneira incondicional, ou ficar se lamentando pela a falta de gente à sua volta.
Você pode ouvir o seu coração e viver apaixonadamente ou agir de acordo com o figurino da cabeça, tentando analisar e explicar a vida antes de vivê-la.
Você pode deixar como está para ver como é que fica ou com paciência e trabalho conseguir realizar as mudanças necessárias na sua vida e no mundo à sua volta.
Você pode deixar que o medo de perder paralise seus planos ou partir para a ação com o pouco que tem e muita vontade de ganhar.
Você pode amaldiçoar sua sorte ou encarar a situação como uma grande oportunidade de crescimento que a vida lhe oferece.
Você pode mentir para si mesmo, achando desculpas e culpados para todas as suas insatisfações ou encarar a verdade de que, no fim das contas, sempre você é quem decide o tipo de vida que quer levar.
Você pode escolher o seu destino e, através de ações concretas caminhar firme em direção a ele, com marchas e contramarchas, avanços e retrocessos, ou continuar acreditando que ele já estava escrito nas estrelas e nada mais lhe resta a fazer senão sofrer.
Você pode viver o presente que a Vida lhe dá ou ficar preso a um passado que já acabou - e portanto não há mais nada a fazer -, ou a um futuro que ainda não veio - e que portanto não lhe permite fazer nada.
Você pode ficar numa boa, desfrutando o máximo das coisas que você é e possui ou se acabar de tanta ansiedade e desgosto por não ser ou não possuir tudo o que você gostaria.
Você pode engajar-se no mundo, melhorando a si próprio e, por consequência, melhorando tudo que está à sua volta ou esperar que o mundo melhore para que
então você possa melhorar.
Você pode continuar escravo da preguiça ou comprometer-se com você mesmo e tomar atitudes necessárias para concretizar o seu Plano de Vida.
Você pode aprender o que ainda não sabe ou fingir que já sabe tudo e não precisa de aprender mais nada.
Você pode ser feliz com a vida como ela é ou passar todo o seu tempo se lamentando pelo que ela não é.
A escolha é sua e o importante é que você sempre tem escolha.
Pondere bastante ao se decidir, pois é você que vai carregar - sozinho e sempre - o peso das escolhas que fizer...
(Autor desconhecido)

sexta-feira, 15 de agosto de 2008

A Bagagem

Quando sua vida começa, você tem apenas uma mala pequenina de mão...
À medida em que os anos vão passando, a bagagem vai aumentando. Porque existem muitas coisas que você recolhe pelo caminho...
Você pensa que elas são importantes. A um determinado ponto do caminho começa a ficar insuportável carregar tantas coisas.
Pesa demais!
Então você pode escolher:
Ficar sentado à beira do caminho, esperando que alguém o ajude, o que é muito difícil...
Todos que passarem por ali já terão sua própria bagagem.
E você poderá ficar a vida inteira esperando... ou você pode aliviar o peso, esvaziando a mala.
Mas, o que tirar?
Comece tirando tudo para fora, e vendo o que tem dentro...
AMOR e AMIZADE Nossa!!! Tem bastante... e não pesa nada!!!
Mas tem algo pesado... Você faz força para tirar... Aí você começa a tirar, tirar e aparecem É a RAIVA como ela pesa!!!
a INCOMPREENSÃO, o MEDO, o PESSIMISMO...
Nesse momento, o DESÂNIMO quase te puxa pra dentro da mala... Mas você puxa-o para fora com toda a força, e aparece um SORRISO que estava sufocado no fundo da sua bagagem...
Pula para fora outro sorriso e mais outro, e aí sai a FELICIDADE...
Você coloca as mãos dentro da mala de novo e Agora, você vai ter que procurar a PACIÊNCIA dentro da mala, pois vai precisar bastante... tira pra fora a TRISTEZA... Procure então o restante:
Tire a PREOCUPAÇÃO, também, e deixe de lado.
Depois você pensa o que fazer com ela... ENTUSIASMO, ESPERANÇA, CORAGEM, FORÇA, EQUILÍBRIO, TOLERÂNCIA, RESPONSABILIDADE, FÉ, BOM HUMOR
Então...
Mas pense bem no que vai colocar lá dentro!!!
Agora é com você... Sua bagagem está pronta para ser arrumada de novo! E não se esqueça de fazer isso mais vezes... Pois o
caminho é muito,MUITO LONGO.
Texto: Autor Desconhecido

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Aprenda A Gostar De Você

Com o tempo, você vai percebendo, que para ser feliz com uma outra pessoa você precisa, em primeiro lugar não precisar dela.
A idade vai chegando e, com o passar do tempo, nossas prioridades na vida vão mudando...
A vida profissional, a monografia de final de curso, as contas a pagar. Mas uma coisa parece estar sempre presente...
A busca pela felicidade com o amor da sua vida.
Desde pequenos ficamos nos perguntando "Quando será que vai chegar?"
E a cada nova paquera, vez ou outra nos pegamos na dúvida "Será que é ele?"
Como diz o meu pai: "Nessa idade tudo é definitivo", pelo menos a gente achava que era.
Cada namorado era o novo homem da sua vida.
Faziam planos, escolhiam o nome dos filhos, o lugar da lua-de-mel e, de repente... PLAFT! Como num passe de mágica ele desaparecia, fazendo criar mais expectativas a respeito "do próximo".
Você percebe que cair na guerra quando se termina um namoro é muito natural, mas que já não dura mais de três meses.
Agora, você procura melhor e começa a ser mais seletiva.
Procura um cara formado, trabalhador, bem resolvido, inteligente, com aquele papo que a deixa sentada no bar o resto da noite.
Você procura por alguém que cuide de você quando está doente, que não reclame em trocar aquele churrasco dos amigos pelo aniversário da sua avó, que jogue "imagem e ação" ...
e se divirta como uma criança, que sorria de felicidade quando te olha, mesmo quando está de short, camiseta e chinelo.
A liberdade, ficar sem compromisso, sair sem dar satisfação já não tem o mesmo valor que tinha antes.
A gente inventa um monte de desculpas esfarrapadas, mas continuamos com a procura incessante por uma pessoa legal, que nos complete e vice-versa.
Enquanto tivermos maquiagem e perfume, vamos à luta...E haja dinheiro para manter a presença em todos os eventos da cidade: churrasco, festinhas, boates na quinta-feira. Sem falar na diversidade que vai do Forró ao Beatles
Mas o melhor dessa parte é se divertir com as amigas, rir até doer a barriga, fazer aqueles passinhos bregas de antigamente e curtir o som...
Olhar para o teto, cantar bem alto aquela música que você adora.
Com o tempo, voce vai percebendo que para ser feliz com uma outra pessoa, você precisa, em primeiro lugar, não precisar dela.
Percebe também, que aquele cara que você ama (ou acha que ama), e não quer nada com você, definitivamente, não é o homem da sua vida. Você aprende a gostar de você, a cuidar de você, e, principalmente, a gostar de quem também gosta de você !
O segredo não é correr atrás das borboletas...
É cuidar do jardim, para que elas venham até você.
No final das contas, você vai achar não quem você estava procurando, Mas quem estava procurando por Você !

terça-feira, 12 de agosto de 2008

O Grande Barato Da Vida

O grande barato da vida é olhar pra trás e sentir orgulho da sua história.
O grande lance é viver cada momento como se a receita da felicidade fosse o AQUI e AGORA!
Claro que a vida prega peças. É lógico que, por vezes, o bolo sola, o pneu fura, chove demais. Mas... pensa só: tem graça viver sem rir de gargalhar pelo menos uma vez ao dia?
Às vezes se espera demais das pessoas... Normal.
A grana que não veio, o amigo que decepcionou, o amor que acabou... Normal.
Todos nós devemos transformar tudo em uma boa experiência.
O nosso desejo não se realizou? Beleza, não tava na hora, não deveria ser a melhor coisa pra esse momento (me lembro de uma frase):
"Cuidado com seus desejos, eles podem se tornar realidade".
Chorar de dor, de solidão, de tristeza, faz parte do ser humano. Não adianta lutar contra isso.
Acredito que ou nos conformamos com a falta de algumas coisas, ou nos esforçamos para realizar todas as nossas loucuras...se eu fosse vc...ficaria com a última.
Mas seja forte o suficiente para enfrentar os obstáculos; paciente para saber esperar o resultado; e capaz de reconhecer, no final de tudo, seu esforço e ver que ele não foi em vão.
No final de cada jornada (a vida é cheia delas) olhe pra trás e enxergue uma vida maravilhosa, cheia de alegrias, viagens, sorrisos, amores, paixões, beijos, abraços, amigos, realizações e conquistas.
Tenha inúmeros bons momentos dos quais relembrar; veja o pôr do sol e o seu nascer; tenha também momentos difíceis (eles nos ensinam a crescer).
Tenha noites de insônia, daquelas que acabam virando momentos refletores da nossa vida.
Tenha noites de poucas horas de sono, por causa daquela tão esperada balada.
Ao olhar pra trás veja que cometeu loucuras em certos momentos, mas que também agiu com consciência em outros...
A vida precisa de um pouco de equilíbrio...
Chore quando for preciso desabafar aquela agonia incontrolável.
Se sinta cansado, exausto de tanto pular, gritar, dançar e cantar....
E que no fim da noite vc pense: VALEU A PENA!!!!!

segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Pensando Bem

Pensando bem, é difícil acreditar que estejamos vivos até hoje!
Quando éramos pequenos, viajávamos de carro, sem cintos de segurança, sem ABS e muito mais...
Os vidros de remédio ou as garrafas de refrigerantes não tinham nenhum tipo de tampinha especial... Nem data de validade...
E tinham também aquelas bolinhas de gude... Que vinham embaladas sem instrução de uso.
A gente bebia água da chuva, da torneira e nem conhecia água engarrafada!
Que horror!
A gente andava de bicicleta sem usar nenhum tipo de proteção... E passávamos nossas tardes construindo nossas pipas ou nossos carrinhos de rolimã... a gente se jogava nas ladeiras e esquecia que não tinha freios até que não déssemos de cara com a calçada ou com uma árvore... E depois de muitos acidentes de percurso, aprendíamos a resolver o problema... SOZINHOS!
Nas férias, saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo; nossos pais às vezes não sabiam exatamente onde estávamos, mas sabiam que não estávamos em perigo.
Não existiam os celulares! Incrível!
A gente procurava encrenca. Quantos machucados, ossos quebrados e dentes moles dos tombos! Ninguém denunciava ninguém... Eram só "acidentes" de moleques: na verdade nunca encontrávamos um culpado.
Você lembra destes incidentes: janelas quebradas, jardins destruídos, as bolas que caíam no terreno do vizinho...???
Existiam as brigas e, às vezes, muitos pontos roxos... E mesmo que nos machucássemos e, tantas vezes, chorássemos, passava rápido; na maioria das vezes, nem mesmo nossos pais vinham a descobrir...
A gente comia muito doce, pão com muita manteiga...
Mas ninguém era obeso... No máximo, um gordinho saudável... Nem se falava em colesterol....
A gente dividia uma garrafa de suco, refrigerante ou até uma cerveja escondida, em três ou quatro moleques, e ninguém morreu por causa de vermes!
Não existia o Playstation, nem o Nintendo...
Não tinha TV à cabo, nem videocassete, nem Computador, nem Internet...
Tínhamos, simplesmente, amigos!
A gente andava de bicicleta ou à pé. Íamos à casa dos amigos, tocávamos a campainha, entrávamos e conversávamos...
Sozinhos, num mundo frio e cruel...
Sem nenhum controle! Como sobrevivemos? Inventávamos jogos com pedras, feijões ou cartas... Brincávamos com pequenos monstros: lesmas, caramujos, e outros animaizinhos, mesmo se nossos pais nos dissessem para não fazer isso!
Alguns estudantes não eram tão inteligentes quanto os outros, e tiveram que refazer a segunda série... Que horror!
Não se mudavam as notas e ninguém passava de ano, mesmo não passando.
As professoras eram insuportáveis! Não davam moleza...
Os maiores problemas na escola eram: chegar atrasado, mastigar chicletes na classe ou mandar bilhetinhos falando mal da professora, correr demais no recreio ou matar aula só pra ficar jogando bola no campinho...
As nossas iniciativas eram "nossas", mas as conseqüências também!
Ninguém se escondia atrás do outro... Os nossos pais eram sempre do lado da Lei quando transgredíamos as regras!
Se nos comportávamos mal, nossos pais nos colocavam de castigo e, incrivelmente, nenhum deles foi preso por isso!
Sabíamos que quando os pais diziam "NÃO", era "N Ã O".
A gente ganhava brinquedos no Natal ou no aniversário, não todas às vezes que ia ao supermercado...Nossos pais nos davam presentes por amor, nunca por culpa... Por incrível que pareça, nossas vidas não se arruinaram porque não ganhamos tudo o que gostaríamos, que queríamos...
Esta geração produziu muitos inventores, artistas, amantes do risco e ótimos "solucionadores" de problemas...
Nos últimos 50 anos, houve uma desmedida explosão de inovações, tendências...
Tínhamos liberdade, sucessos, algumas vezes problemas e desilusões, mas tínhamos muita responsabilidade...
E não é que aprendemos a resolver tudo!!! E sozinhos...
Se você é um destes sobreviventes...
PARABÉNS!!! VOCÊ CURTIU OS ANOS MAIS FELIZES DE SUA VIDA..."
Luis Fernando Veríssimo

sexta-feira, 8 de agosto de 2008

Pai De Todo Jeito

Pai de Todo Jeito
Tem pai que ama,
Tem pai que esquece do amor.
Tem pai que adota. Tem pai que abandona.
Tem pai que não sabe que é pai, tem filho que não sabe do pai.
Tem pai...
Tem pai que dá amor, Tem pai que dá presente,
Tem pai por amor, Tem pai por acaso,
Tem pai que se preocupa com os problemas do filho.
Tem pai que não sabe dos problemas do filho...
Tem pai...
Tem pai que ensina, tem pai que não tem tempo.
Tem pai que sofre com o sofrimento do filho, Tem pai que deixa o filho esquecido.
Tem pai de todo jeito
Tem pai que encaminha o filho, Tem pai que o deixa no caminho.
Tem pai que assume, Tem pai que rejeita, Tem pai que acaricia, Tem pai que não sabe onde está o filho que precisa de carinho.
Tem pai que afaga, Tem pai que só pensa em negócios.

Pai é Pai !Pode ser novo, pode ser velho, pode ser branco, negro ou amarelo
Pode ser rico ou pobre pode ser solteiro, casado, viúvo ou divorciado
Pode ser feliz ou infeliz, pode estar aqui ou já ter ido embora, pode ter tido filhos ou adotado-os
Pode ter casa ou morar na rua, pode usar terno ou bermuda, pode ser Deus ou humano, pode estar trabalhando ou desempregado, pode ser tanta coisa ou simplesmente PAI
Mas todos, sem faltar um sequer fazem parte da criação. Que não só hoje, mas em todos os dias desta vida possa ser lembrado como aquele que muitas vezes não dormiu, muitas vezes ficou pensando na comida para levar para casa, muitas vezes engoliu sapos, muitas vezes chorou escondido, muitas vezes gargalhou, muitas vezes perdeu a hora, mas, nunca deixou de pensar na coisa mais importante de sua vida: OS FILHOS!
A todos os Pais, um carinhoso abraço! Deus os abençoe!
Feliz dia dos Pais a todos...

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Dia Dos Pais

Na Romênia, um homem dizia sempre a seu filho:
- "Haja o que houver, eu sempre estarei a seu lado".
Houve, nesta época um terremoto de intensidade muito grande, que quase arrasou as construções lá existentes. Na hora do terremoto este homem estava em uma estrada, e ao saber do ocorrido, correu para casa e verificou que sua esposa estava bem, mas seu filho estava na escola. Foi imediatamente para lá. E a encontrou a escola totalmente destruída. Não restou, uma única parede de pé. Tomado de uma enorme tristeza ficou ali ouvindo, a voz feliz de seu filho e sua promessa ( não cumprida ): ..." Haja o que houver: eu estarei sempre a seu lado".
Seu coração estava apertado e sua vista apenas enxergava a destruição. A voz de seu filho e sua promessa não cumprida o dilaceravam. Mentalmente percorreu inúmeras vezes o trajeto que fazia diariamente segurando sua mãozinha. O portão ( que não mais existia)... Corredor... Olhava as paredes, vendo aquele rostinho confiante, passava pela sala do 3º ano, virava o corredor e o olhava ao entrar. Até que resolveu fazer em cima dos escombros, o mesmo trajeto. Portão... Corredor... Virou a direita... E parou em frente ao que deveria ser a porta da sala. Nada! Apenas uma pilha de material destruído. Nem ao menos um pedaço de alguma coisa que lembrasse a classe. Olhava tudo... desolado... E continuava a ouvir sua promessa: - "Haja o que houver, eu sempre estarei com você". E ele não estava...
Começou a cavar com as mãos. Nisto chegaram outros pais, que embora bem intencionados, e também desolados, tentavam afastá-lo de lá dizendo: - Vá para casa. Não adianta, não sobrou ninguém.
- Vá para casa. Ao que ele retrucava:
- Você vai me ajudar? Mas ninguém o ajudava, e pouco a pouco, todos se afastavam.
Chegaram os policiais, que também tentaram retirá-lo dali, pois viam que não havia chance de ter sobrado ninguém com vida. Haviam outros locais com mais esperança. Mas este homem não esquecia sua promessa ao filho: "Haja o que houver, eu sempre estarei com você". A única coisa que dizia para as pessoas que tentavam retirá-lo de lá era:
- Você vai me ajudar ? Mas eles também o abandonavam.
Chegaram os bombeiros, e foi a mesma coisa...
- Saia daí, não está vendo que não pode ter sobrado ninguém vivo? Você ainda vai por em risco a vida de pessoas que querem te ajudar pois continuam havendo explosões e incêndios. Ele retrucava :
- Você vai me ajudar?
- Você está cego pela dor, não enxerga mais nada. Ou então é a raiva da desgraça.
- Você vai me ajudar? Um a um todos se afastavam.
Ele trabalhou quase sem descanso, apenas com pequenos intervalos, mas não se afastava dali ....5 hs... 10 hs ... 12 hs ... 22 hs ... 24 hs ... 30 hs... Já exausto, dizia a si mesmo que precisava saber se seu filho estava vivo ou morto. Até que ao afastar uma enorme pedra, sempre chamando pelo filho, ouviu:
- Pai ...estou aqui!
Feliz, fez mais força para abrir um vão maior e perguntou:
- Você está bem?
- Estou. Mas com sede, fome e muito medo.
- Tem mais alguém com você?
- Sim, dos 36 da classe, 14 estão comigo; estamos presos em um vão entre dois pilares. Estamos todos bem! Apenas se conseguia ouvir seus gritos de alegria.
- Pai, eu falei à eles:
- Vocês podem ficar sossegados, pois meu pai irá nos achar. Eles não acreditavam, mas eu dizia a toda hora...
- "Haja o que houver, meu pai, estará sempre a meu lado".
- Vamos, abaixe-se e tente sair por este buraco.
- Não! Deixe eles saírem primeiro...
- Eu sei que haja o que houver... você estará me esperando!...
" Haja o que houver o verdadeiro pai estará sempre presente".
Quando a indiferença entre pais e filhos falar mais alto, lembre-se que o perdão aproxima, o amor rompe barreiras e o abraço une os corações distantes... hoje o abraço pode ser dado e amnhã ?...

terça-feira, 5 de agosto de 2008

O Grande Inimigo Chamado Medo

Lá estava ele para fazer uma apresentação para a diretoria de um cliente potencial. Pouco antes da apresentação ele ficou sabendo que quem a assistiria era o fundador da empresa, seu filho e dois diretores... isto é, gente muito importante.
Veio o medo de fracassar, de fazer papel infantil perante gente tão espetacular, de não honrar a empresa que estava representando, isto é, a famosa "neura".
Quando entrou na sala, os demais estavam sérios formais, ele iniciou então a apresentação também de modo sério e formal. O dia todo (reuniões, almoço etc.) o clima foi esse - sério e formal.
Duas conseqüências negativas:
1) ele teve um dia péssimo, desprazeroso e duro de engolir;
2) perdeu oportunidade de fazer uma aproximação mais íntima com os outros. "Como no palco o ator que é imperfeito/Faz mal o seu papel só por temor" - diz o verso de William Shakespeare.
Vamos imaginar um cenário diferente. Quando soube que seria assistido por gente importante, imediatamente sentiu o medozinho básico, mas controlou-se, respirou fundo e pensou: "Bem, são importantes, bom para eles, mas são humanos iguaizinhos a mim. Portanto, nem melhores e nem piores. Têm seu valor e também tenho o meu. Não são inimigos que estão ali para me avaliar e para me derrubar, mas potenciais parceiros de negócios. Tudo o que querem é uma boa relação, proveitosa para todos." A partir dessa postura, entrou na sala mais descontraído, quebrou a barreira entre ele e os outros, criou um clima informal, produtivo e agradável.
Dia mais feliz, melhores resultados.
Você superestima outras pessoas?· Você deve respeito a todo ser humano, não medo.· Os outros são diferentes, às vezes mais ricos, mais poderosos, mas nem melhores e nem piores, em princípio.
Ao olhar para quem quer que seja, ponha os óculos da amizade e da afetividade, a empatia será maior.

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Saudades

Eu tenho saudades de tudo que marcou a minha vida .
Quando vejo retratos, quando sinto cheiros, quando escuto uma voz, quando me lembro do passado, eu sinto saudades...
Sinto saudades de amigos que nunca mais vi, de pessoas com quem não mais falei ou cruzei...
Sinto saudades da minha infância, do meu primeiro amor, do meu segundo, do terceiro, do penúltimo e daqueles que ainda vou vir a ter, se Deus quiser...
Sinto saudades do presente, que não aproveitei de todo, lembrando do passado e apostando no futuro...
Sinto saudades do futuro, que se idealizado, provavelmente não será do jeito que eu penso que vai ser...
Sinto saudades de quem me deixou e de quem eu deixei, de quem disse que viria e nem apareceu; de quem apareceu correndo, sem me conhecer direito, de quem nunca vou ter a oportunidade de conhecer.
Sinto saudades dos que se foram e de quem não me despedi direito; daqueles que não tiveram como me dizer adeus; de gente que passou na calçada contrária da minha vida e que só enxerguei de vislumbre; de coisas que eu tive e de outras que não tive mas quis muito ter; de coisas que nem sei que existiram mas que se soubesse, com certeza gostaria de experimentar;
Sinto saudades de coisas sérias, de coisas hilariantes, de casos, de experiências...
Sinto saudades do cachorrinho que eu tive um dia e que me amava fielmente, como só os cães são capazes de fazer, dos livros que li e que me fizeram viajar, dos discos que ouvi e que me fizeram sonhar das coisas que vivi e das que deixei passar, sem curtir na totalidade;
Quantas vezes tenho vontade de encontrar não sei o que, não sei aonde, para resgatar alguma coisa que nem sei o que é e nem onde perdi...
Vejo o mundo girando e penso que poderia estar sentindo saudades em japonês, em russo, em italiano, em inglês, mas que minha saudade, por eu ter nascido brasileiro, só fala português embora, lá no fundo, possa ser poliglota, Aliás, dizem que costuma-se usar sempre a língua pátria, espontaneamente, quando estamos desesperados, para contar dinheiro, fazer amor e declarar sentimentos fortes, seja lá em que lugar do mundo estejamos.
Eu acredito que um simples "I miss you", ou seja lá como possamos traduzir saudade em outra língua, nunca terá a mesma força e significado da nossa palavrinha.
Talvez não exprima, corretamente, a imensa falta que sentimos de coisas ou pessoas queridas. E é por isso que eu tenho mais saudades...
Porque encontrei uma palavra para usar todas as vezes em que sinto este aperto no peito, meio nostálgico, meio gostoso, mas que funciona melhor do que um sinal vital quando se quer falar de vida e de sentimentos.
Ela é a prova inequívoca de que somos sensíveis, de que amamos muito o que tivemos e lamentamos as coisas boas que perdemos ao longo da nossa existência...
Sentir saudade, é sinal de que se está vivo!

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

A Piscina E A Cruz

Muitos de nós, as vezes, pensamos que nunca tivemos experiências dignas de serem testemunhadas.
As vezes ouvimos falar de um milagre, ou de uma benção que uma pessoa recebeu e pensamos:
"-será que nunca vai acontecer comigo?"
Mas no dia-a-dia, acontecem inúmeros "pequenos milagres", coisas que ao nossos olhos são tão pequenas que praticamente passam desapercebidas.
Mas, que em uma reflexão mais cuidadosa, revela-se um "pequeno milagre".
A vida está cheia desses acontecimentos... pequenos tropeços que te fazem parar e ver, que, por pouco você se machucaria, ou seria atropelado.
Uma sombra, que chama sua atenção e dá asas a sua imaginação...
Um amigo ia toda quinta-feira a noite a uma piscina coberta.
Sempre via ali um homem que lhe chamava atenção: ele tinha o costume de correr até a água e molhar só o dedão do pé. Depois subia no trampolim mais alto e com um esplêndido salto mergulhava na água. Era um excelente nadador.
Não era de estranhar, pois, que meu amigo ficasse intrigado com esse costume de molhar o dedão antes de saltar na água. Um dia tomou coragem e perguntou a razão daquele hábito. O homem sorriu e respondeu:
- Sim, eu tenho um motivo para fazer isso. Há alguns anos, eu era professor de natação de um grupo de homens. Meu trabalho era ensiná-los a nadar e a saltar de trampolim. Certa noite não conseguia dormir e fui a piscina para nadar um pouco.
Sendo o professor de natação, eu tinha uma chave para entrar no clube. Não acendi a luz porque conhecia bem o lugar. A luz da lua brilhava através do teto de vidro. Quando estava sobre o trampolim, vi minha sombra na parede em frente.
Com os braços abertos, minha silhueta formava uma magnifica cruz. Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando aquela imagem.
O professor de natação continuou:
- Nesse momento, pensei na cruz de Cristo e em seu significado. Eu não era um cristão, mas quando criança aprendi um cântico cujas palavras me vieram a mente e me fizeram recordar que Jesus tinha morrido para nos salvar por meio de seu precioso sangue... Não sei quanto tempo fiquei parado sobre o trampolim com os braços estendidos e nem compreendo por que não pulei na água.
Finalmente voltei, desci do trampolim e fui até a escada para mergulhar na água. Desci a escada e meus pés tocaram o piso duro e liso... na noite anterior haviam esvaziado a piscina e eu não tinha percebido...
Após uma longa pausa, ele continuou:
- Tremi todo e senti um calafrio na espinha. Se tivesse saltado, seria o meu último salto. Naquela noite, a imagem da cruz na parede salvou a minha vida.
Fiquei tão agradecido a Deus, que em Sua graça me permitiu continuar vivo, que me ajoelhei na beira da piscina. Tomei consciência de que não somente a minha vida, mas minha alma também precisava ser salva.
Para que isso acontecesse, foi necessária outra cruz, aquela na qual Jesus morreu para nos salvar.
Ele me salvou quando confessei os meus pecados e me entreguei a Ele.
Naquela noite fui salvo duas vezes. Agora tenho um corpo sadio porém, o mais importante é que sou eternamente salvo. Talvez agora você compreenda porque molho o dedão antes de saltar na água...
As vezes, os milagres acontecem em nossas vidas, mas, não como nós esperávamos.
Deus tem uma forma maravilhosa de agir, Ele não faz barulho, não chama a atenção! Mas nem por isso torna-se ineficiente.
Abramos nosso olhos e estejamos bem acordados, pois Ele pode estar chamando sua atenção nesse exato momento....

Um grande abraço e que Deus o abençoe